Operação prende sete com destaque a universitário com ‘boca’ ao lado de Universidade

Lúcio Borges

Futuro engenheiro foi conduzido por policiais após tráfico (Foto: Adilson Domingos)

A PC-MS (Polícia Civil de MS) em Dourados, realizou uma fase da ‘Operação Boas Festas’, na manhã desta quinta-feira (13), onde já de inicio ou mesmo devido a investigações foi já prender seis pessoas, entre eles dois destaques, um estudante de Engenharia Civil, traficante de luxo e uma detenta com prisão domiciliar. Aleff Gabriel Manzatto da Silva, 25 anos, apesar de estar em uma casa ‘boa’, mantinha a conhecida ‘boca de fumo’, onde vendia drogas a 50 metros de uma universidade particular, na região norte da cidade, a cerca de 250 km de Campo Grande.

A ação mostra outro destaque uma mulher, Daniele Lopes Alves, 30 anos, beneficiada pelo habeas corpus coletivo concedido em abril deste ano pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Com a decisão, gestantes ou mães de crianças de até 12 anos, presas em todo o território nacional, ganharam direito à prisão domiciliar. Veja abaixo, toda a estória, onde que com a quase liberdade total, ela voltou ou que nunca saiu do crime, estaria a frente de diversas graves ocorrências criminal na região nos últimos meses.

As outras cinco pessoas foram presas, são Bruno Henrique Lopes Silva, 24 anos; Fernando Silva de Almeida, 25; Vinícius Camargo Lima Silva, 21. Já dois presos, ficam no rol dos apreendidos, pois são dois irmãos, um de 17 e outro de 14 anos. todos pegos pela ‘Operação Boas Festas’, deflagrada hoje pela PC-MS, com apoio da Defron (Delegacia Especializada de Repressão a Crimes de Fronteira), de policiais de Caarapó e Douradina e da Polícia Militar.

O caso do estudante de engenharia civil, lhe é imputado a acusação de trafico de drogas, pela venda de entorpecentes em sua casa, a 50 metros de uma importante universidade particular, localizada na região norte da cidade. A maioria dos clientes era formada por universitários da Unigran. Aleff Gabriel foi preso e até confessou o comercio ilegal de Maconha e skunk .  Ele é Vizinho da Unigran, em ponto estratégico para fornecer drogas a dependentes químicos.

Boca de luxo

O chefe da operação, delegado Rodolfo Daltro, ratificou a confissão do crime, com Aleff ratificando a venda e revelando o alto valor cobrado. “Cada cem gramas de skunk era R$

100. Aleff foi preso com cinco pacotes de skunk e seis tabletes de maconha, quantidade considerável”, apontou delegado, que lembrou que cultivado em laboratório, o skunk é conhecido como “supermaconha”, por possuir até sete vezes mais THC (Tetra-hidro-canabinol) que a maconha comum.

Cinco dos presos na operação desta quinta-feira em Dourados (Foto: Adilson Domingos)

Outros eram em mandante de assaltos

A operação desta quinta em Dourados também prendeu Daniele Lopes Alves, 30, moradora no Parque das Nações I Plano. Ela estava em prisão domiciliar após ser acusada de ligação com uma quadrilha de assaltantes desarticulada na cidade. Ela que saiu da prisão fechada e foi a domiciliar há oito meses, por iniciativa ou sentença convertida no STF (Supremo Tribunal Federal).

O delegado Rodolfo Daltro, aponta que ela é mentora de vários assaltos praticados neste ano em Dourados. “Entre eles o de uma caminhonete, um latrocínio e o roubo de um malote destinado ao pagamento de funcionários de uma construtora”, disse Daltro, que revelou que com a prisão hoje, desarticulou um outro mega crime para acontecer nos próximos dias.

“Daniele havia sido incumbida pela associação da qual é integrante de identificar uma casa de alto padrão, bem como uma empresa, para serem roubados ainda nesta semana”, informou o delegado.

Outros – O terceiro detido foi Bruno Henrique Lopes Silva, 24, morador no Jardim Pelicano, que também foi preso hoje por força de mandado de prisão preventiva acusado de assalto. Outro preso por assalto foi Fernando Silva de Almeida, 25, morador no Jardim Itália.

Vinícius Camargo Lima Silva, 21, morador no Jardim Guaicurus, foi preso por tráfico de drogas. A polícia encontrou papelotes de cocaína na casa dele.

Dois irmãos, um de 17 e outro de 14 anos, também foram detidos. Durante mandado de busca no bairro Estrela Porã foram encontradas porções de maconha com eles, mas os dois devem ser ouvidos e liberados, por serem menores de idade, 18 anos.

Comentários