Operação Girve torna Agepen alvo de investigações

A Operação Girve, deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) na manhã desta sexta-feira (26), teve como alvo os titulares da Presidência da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), da DAP (Diretoria de Assistência Penitenciária), da chefia da DEP  (Divisão de Estabelecimentos Penais), do DOP (Diretoria de Operações) e a Chefia de Divisão de Trabalho.

Foram apreendidos todos os celulares dos alvos, além de R$ 90 mil na residência de um dos diretores, que não teve o nome divulgado.

Pelo menos sete mandados de busca e apreensão, expedidos pelo titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, o juiz Carlos Alberto Garcete de Almeida, apuram a prática dos crimes de peculato, falsidade documental e corrupção envolvendo alguns diretores da Agepen.

A ação apura ilegalidades cometidas durante a realização do Curso de Treinamento para Intervenção Rápida, Contenção, Vigilância e Escolta do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul – Girve.

 

Comentários