“Operação de Domingo” abordou 2 mil pessoas e prendeu sete na Capital

Coletiva foi realizada na tarde desta segunda-feira (14), no prédio da Acadepol. (Foto: Paulo Francis)
Coletiva foi realizada na tarde desta segunda-feira (14), no prédio da Acadepol. (Foto: Paulo Francis)

Os policiais da Policia Civil de Mato Grosso do Sul realizaram uma coletiva de imprensa na tarde desta segunda-feira (14), no auditório da Acadepol (Academia de Policia Civil), a fim de prestar esclarecimentos sobre a “Operação de Domingo”, realizada na tarde de ontem (13), nas imediações do Shopping Campo Grande, na Capital.

A operação foi feita nas imediações do Shopping Campo Grande, Praça das Águas e Altos da Avenida Afonso Pena em conjunto pela Polícia Civil, Deaij (Delegacia de Atendimento à Infância e à Juventude), Conselho Tutelar e Secretaria de Assistência Social de Campo Grande, e segundo a delegada Roseman de Paula, foram realizadas cerca de 2 mil abordagens, sendo que 90 adolescentes tiveram que ser entregues diretamente aos pais por estarem sem documentos e em situação classificadas de risco.

Pelo menos sete pessoas foram presas em flagrante acusadas de fornecer bebidas alcoólicas e drogas como maconha e crack, a menores de idade. As denuncias mais recorrentes da região são o consumo de bebidas, drogas, prostituição, aliciamento, brigas, entre outras.

Bebidas e drogas foram apreendidas durante a operação. (Foto: Divulgação)
Bebidas e drogas foram apreendidas durante a operação. (Foto: Divulgação)

O diretor do DPE (Departamento de Policia Especializada) Adriano Garcia Geraldo destacou que a operação “De Domingo” começou a ser planejada há mais 15 dias atrás, devido a  polícia receber várias denúncias de furtos, roubos e badernas na região do bairro Chácara Cachoeira e altos da avenida Afonso Pena.

Adriano frisou que a operação tinha o objetivo de abordar todos os jovens que estivessem expostos a uma situação de risco, independentemente de raça, ou classe social. Ele destaca que não houve o uso de força e que o armamento e o instrumento de trabalho do policial e por isso é indispensável em qualquer operação.

Duas conselheiras tutelares que acompanharam a operação, e alegaram que a grande maioria dos pais que foram buscar seus filhos nas delegacias não sabiam que eles estavam no entorno do Shopping, pois disseram a eles que estavam na igreja. “Não existiu nenhuma situação vexatória e nem ação truculenta por parte dos policiais e sim foi uma ação pedagógica“, afirma Ana Paula Marilhas”.

 Paulo Francis

Comentários

comentários