Olimpíadas contribuem para segurança pública em MS

(Foto: Divulgação)
O diretor presidente da Agepen/MS, Ailton Stropa Garcia, durante entrevista ao portal de notícias Página Brazil (Foto: Divulgação)

O estado de Mato Grosso do Sul tem sido muito prejudicado por conta fazer fronteira com diversos países produtores de drogas. Atualmente 40% dos custodiados da Agepen estão presos pelo crime de tráfico de entorpecentes, de um total de mais de 15 mil internos.

O diretor presidente da Agepen/MS, Ailton Stropa Garcia destacou na tarde desta terça-feira (17), ao portal de notícias Página Brazil, que Mato Grosso do Sul faz divisa com o Paraguai, Bolívia e outros 5 estados da federação, sendo considerada uma rota para o trafico de entorpecentes. Diante desses casos, e através da eficiência da Policia Civil, Militar e Rodoviária Estadual, há uma grande quantidade de prisões oriundas desses delitos.

“Hoje nós temos cerca de 6 mil presos que cumprem pena pro trafico de entorpecentes, com índice de 46% desse tipo de crime entre os presos do sexo masculino e 85% para as do sexo feminino. Quando o estado prende, a nossa policia trabalha e impede que drogas cheguem a outros estados e façam estragos nas famílias de outros estados da Federação, e a União comparece com a mesma intensidade que precisaríamos para que isso não ocorra”, explica.

Ailton frisa que um interno do presidio federal custa em média 3,7 mil reais por mês e o interno do presidio estadual 1,6 mil reais mensal, e caso o montante destinado aos 6 mil presos de trafico teria um montante de mais de 8 Milhões mensais.
O diretor ainda destaque que para diminuir a incidentaria de lotação no Estado, esta sendo construído mais três presídios na capital, no complexo da gameleira, que juntos somam 1613 vagas. Além disso há projeto de construção de um presidio semi-aberto em Corumbá, ampliações do presidio de Coxim, Ponta Porã e projetos de construção de outros presídios.

Em relação ao efetivo, Ailton alega que ainda não é o ideal, pois os agentes trabalham com uma sobrecarga muito grande, fazendo hora extra, sensibilizado com isso o Governo do Estado lançou um concurso que está em andamento com 438 vagas, com possibilidade de ser aprovados mais pessoas.
Outro grande ganho que o diretor ressalta será o ganho de diversos equipamentos de segurança provenientes das Olimpíadas.

“Nos vamos receber através de um convenio que celebramos com o Depen, cerca de 11 esteiras tipo aeroporto, em torno de 4 portais e 16 raquetes detectoras de metais. Isso vem para nós depois das olimpíadas, nós esperamos ansiosos e se não atender todas as unidades pelo menos a maioria das unidades vai ter esses equipamentos de segurança”, finaliza.

Paulo Francis

Comentários

comentários