Olarte diz que tolerância com quem tenta destruir sua imagem acabou

Em entrevista nesta sexta-feira (22), ao programa Tribuna Livre, da Capital FM, e ao portal Página Brazil, o prefeito Gilmar Olarte (PP) alegou  que apesar de o contexto político, econômico e administrativo atual do país, existe uma tentativa de desconstrução da imagem do prefeito, atribuindo a ele a causa de todos os males”. “O governo federal corta R$ 80 bilhões do orçamento, o governo do Estado está sendo pressionado por 14 categorias que somam 40 mil servidores que querem reajuste salarial e a culpa da crise é só do prefeito?”, questiona.  “A estratégia da oposição é a da ‘Terra Arrasada’, procurando colocar um rabo onde não existe, eles fazem a política do quanto pior melhor”, afirmou.

“Não é função da imprensa, do Gaeco do Ministério Público, julgar.  Isso é função da Justiça. Para todas as acusações eu tenho uma contra-prova. Eu inclusive ouvi essa frase: ‘se não tem (provas), vamos criar’. Está nos áudios! Eu acredito também na Justiça da Terra, na justiça dos homens. Porque o que está acontecendo é uma tentativa de linchamento. Até a denominação “Operação Adna” dada às investigações tem a clara intenção de depreciar o grupo com o qual congrego. A igreja não é minha, é um organismo espiritual”, disse. ‘Eu vou provar tudo isso, vou continuar tocando a prefeitura até o final do mandato”.

Olarte considera que neste momento está havendo uma ‘caça aos fantasmas’, lembrando que Identificaram um comissionado que não estava comparecendo ao trabalho, “que prontamente, após tomar conhecimento do caso, exoneramos”. “A outra servidora apontada como fantasma trabalha na Junta Militar e porque tem um puxadinho, na casa dela, para complementar a renda, ela é funcionária fantasma?”, reclama.

Sobre como vai reagir, o prefeito disse que não pode perder a compostura, mas que a situação exige reação. “Até por ser pastor, a minha tolerância e necessidade de perdoar é exigida, mas como toda notícia traz “O Pastor Gilmar Olarte” e eu vou divulgar essas gravações, a tolerância acabou. Toda difamação e calúnia passará a ter resposta a partir de agora na Justiça”, concluiu

Silvio Ferreira

Comentários

comentários