Olarte deixa presídio após cumprir cinco dias de prisão temporária

Acusados de participar de suposto esquema de compra de votos de vereadores para cassar o mandato do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), o vice-prefeito Gilmar Olarte (PP), saiu do Presídio Militar Estadual à 0h desta quarta-feira (7).

Gilmar Olarte deixa a prisão (Foto: TV Morena)
Gilmar Olarte deixa a prisão (Foto: TV Morena)

É que venceu o prazo do mandado de prisão temporária, que era de cinco dias. Ele estava na cadeia desde a madrugada de sexta-feira (2). “A prisão é desnecessária, sempre nos colocamos oficialmente e documentalmente à disposição”, disse o advogado Jail Azambuja.

Olarte saiu da unidade de segurança acompanhando do advogado e foi direto para casa. Na residência, foi recebido por familiares e irmãos da igreja que ele frequenta com louvores, aplausos e abraços.

O prefeito afastado foi preso por determinação da Justiça, a pedido do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), por suspeita de compra de votos para cassação de Alcides Bernal (PP), ocorrida em março de 2014. Ele prestou depoimento nessa terça-feira (6).

O empreiteiro João Amorim também responde à mesma suspeita, foi preso na quinta-feira (1º) e solto por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ) no fim da noite de sexta-feira. Amorim prestou depoimento nessa segunda-feira (5), por cerca de três horas.

O Gaeco também pediu à Justiça afastamento de 17 vereadores. Eles teriam envolvimento na trama para cassar Bernal. O pedido foi indeferido pela Justiça.

Investigação da Polícia Civil aponta que os encontros dos vereadores para tramar a cassação eram em uma chácara da capital sul-mato-grossense.

Entra e sai

Com a queda de Bernal, em março de 2014, Olarte assumiu a prefeitura. No último 25 de agosto, a Justiça determinou afastamento de Olarte e do presidente da Câmara, vereador Mario Cesar (PMDB).

No mesmo dia, o TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) reconduziu Bernal ao cargo.

Comentários

comentários