Olarte anuncia que vai “queimar gordura” para combater crise

Em entrevista coletiva na tarde de hoje no Plenário da Prefeitura Municipal, o Prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte, anunciou que para equilibrar o orçamento do município irá “queimar gordura”, reduzindo os custos e enxugando a folha de pagamento.

Ele afirmou também dentro de alguns meses que deve subir o valor do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e cobrar a dívida ativa dos contribuintes, que hoje gira em torno de um bilhão de reais, “Sabemos que R$600 milhões são recebíveis e vamos atrás dessa receita, não vai resolver o problema, mas vai ajudar”, disse Olarte. Além disso, a Prefeitura deve entrar com recursos para reaver do governo do Estado os índices de ICMS.

O prefeito explica que o planejamento da gestão foi comprometido pelo de aumento nos salários dos servidores, “Do aumento de 2012, dado sem previsão da onde ia sair a receita pra cá são 28 meses, isso dá cento e tantos milhões, se não fosse isso estaríamos numa situação bem melhor”, avalia o prefeito..

Para ele os cargos comissionados não representam um fator agravante na crise financeira que o município está passando, porque cerca de 1.200 comissionados ocupam lugares estratégicos”. Segundo ele,de janeiro de 2014 a abril de 2015, quase 1,1 mil servidores da prefeitura ou aposentaram ou pediram exoneração e esse lugares são ocupados em sua maioria por comissinados. Para Olarte, nem mesmo o corte de 100% dos comissionados, que representam 9% da folha, sanaria as receitas da cidade.

As áreas mais afetadas na política de reajuste do município são saúde e educação, que juntas representam 85% da folha de pagamentos (49% e 36%, respectivamente). “Todos os cortes foram feitos em cima de estudos para preservar os serviços à população”, destacou o prefeito.

Questionado sobre quais serão as ações efetivas ele apenas afirmou que, “O diálogo é a ponte para outras ações”.

Luana Campos

 

 

Comentários

comentários