“O consumidor não terá prejuízo nenhum”, afirma prefeito sobre regulamentação do Uber

Michael Franco

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), participou do programa Tribuna Livre da rádio Capital 95 FM, na manhã desta terça-feira (16) e também concedeu entrevista ao Página Brazil. Ele explanou o trabalho da administração municipal em todos os setores nos primeiros cinco meses de mandato. Trad destacou temas que repercutem na Capital como a operação ‘Tapa-buraco’, a falta de médicos nos postos de saúde e a regulamentação dos aplicativos de transporte.

Confira na íntegra a entrevista do prefeito para o Página Brazil:

Trad administra a capital de Mato Grosso do Sul há pouco mais de cinco meses e uma recente conquista da prefeitura foi a liberação dos recursos para a realização do programa ‘Reviva Centro’ por meio de um contrato de US$ 56 milhões (R$ 175 milhões) com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para revitalização da área central da Capital. O prefeito destaca a importância das obras para toda a cidade. “Esse Reviva Centro vai trazer e vai restaurar a vida não só do centro, o centro é o coração, e o coração vai irradiar sangue para toda nossa cidade, dali todos os bairros serão contemplados”.

Uber

Acerca da regulamentação dos aplicativos de transporte, dentre eles, principalmente o Uber, Trad salientou que a Lei Federal determina que o município regulamente a forma de trabalho destas empresas e que em outras capitais o pagamento de imposto para os cofres municipais. “Assim está sendo feito em Vitória, em São Paulo, assim está sendo feito em Brasília e assim será feito na cidade de Campo Grande”.

O prefeito também afirmou que a decisão foi tomada em conjunto com representantes de todos os setores do transporte e também da política da capital. “Sentou conosco Ministério Público Estadual, Ordem dos Advogados do Brasil, Ministério Publico do Trabalho, representante dos motoristas de aplicativo, presidente dos Táxis, presidente de auxiliares de taxistas, presidente de mototáxi, três membros do poder legislativo e em conjunto nós estabelecemos o novo decreto que será publicado hoje no diário oficial”.

Trad explicou que o número de carros não será limitado e somente a empresa pagará o imposto de 7% sobre o valor de cada quilômetro rodado. “Isso não é repassado ao passageiro”.

Tapa Buraco

O prefeito continuou com o mesmo discurso defendido pela administração municipal de que o correto seria o recapeamento das vias, no entanto, a prefeitura não tem verba em caixa para bancar tal obra. “Só há uma solução, recapear todas a s vias da nossa cidade, como não há dinheiro para isso, a medida paliativa é tapar os buracos”.

Saúde

O prefeito ressaltou que herdou vários problemas da administração anterior no setor da saúde, como contratos de compra paralisados e repasses para unidades privadas atrasados. “Me diziam você vai encontrar terra arrasada na saúde e eu posso dizer que nem a terra eu encontrei”.

Ele destacou os problemas econômicos que encontrou no setor e a dificuldade para saná-los em pouco tempo de administração. “A nossa gestão herdou uma dívida de R$ 46 milhões na área da saúde. Pagamentos de repasses atrasados a todos hospitais conveniados, nós colocamos em dia […] Com dialogo, prefeitura e profissionais da saúde trabalharem mais contentes”.

Déficit

A economia municipal não está em boa fase, segundo o prefeito. Em época de reajuste salarial de servidores, os cofres públicos apresenta um déficit de R$ 34 milhões. Trad disse que “são quase R$ 3 bilhões em débitos com a prefeitura, as pessoas quando falam que tem que arrecadar, a primeira coisa que pensam em fazer é cortar gastos, além de reduzir despesas nós queremos incrementar a arrecadação […] ir atrás de quem está devendo”.

Por fim..

Trad afirmou que obras para melhorar o trânsito da capital passam por fase de estudo e realização. Para a execução, foi chamado um técnico especialista em trânsito do Rio de Janeiro para analisar as obras necessárias, no entanto, os projetos esbarram no problema da falta de verba. “Na Mato Grosso, por exemplo, todos falavam tem que acabar com o problema do trânsito, é um congestionamento nos horários de pico, fizemos todo o planejamento para colocar um viaduto, custaria R$ 32 milhões, não teria da onde tirar o dinheiro”.

Veja a participação do prefeito no programa Tribuna Livre:

 

 

Comentários