“Novo Fakes News contra minha candidatura”, rebate Odilon sobre acusações de então servidor

Lúcio Borges

A direção da campanha do candidato do PDT ao governo do Estado, Odilon de Oliveira, divulgou nota, a pouco, assinada também por ele, para contestar declarações publicadas hoje (29), pelo Jornal Folha de São Paulo, onde o ex-servidor da Justiça Federal Jedeão, faz duras acusações contra o juiz aposentado. O fato repercutir muito em pleno caminhar da disputa eleitoral, onde o candidato tem perspectivas de conquistar a cadeira no Parque dos Poderes, se apresentando com a chapa “Esperança e Mudanças”. O slogan é principalmente no que tange sua vida pregressa na magistratura, que lhe conferiu o status de seriedade e o fez ser convidado e aceitar ingressar na vida político-partidária.

Veja abaixo, a nota* da campanha pedetista, onde o ex-juiz fala de toda situação ante até não ser novidade no meio politico, que os ataques se iniciam contra as pessoas. Mas, que além de ataques externos, passou a vir de dentro de seu então ‘imaculado’ ambiente de trabalho na Justiça Federal. A noticia, hoje veiculada nacionalmente, agora vem do servidor que trabalhou com Odilon, mas que está sendo acusado por irregularidades onde operava sua função. Jedeão demorou, mas foi envolvido e está sendo processado por erros ou crimes como funcionário público do Judiciário, a partir de pedido de investigação do setor de Odilon.

Com isso, o candidato, parte para o contra ataque e já inicia nota dizendo que há motivação política, ainda mais porque sua candidatura representa uma ameaça para quem deseja se manter no poder.

Odilon partiu ainda, para dizer na linguagem atual, que fazem Fakes News contra sua candidatura. Como ainda, que o servidor por conta própria, ou a serviço de alguém, mas sem credibilidade e no desespero, quer acusar e manchar, lançando suspeitas sobre os juízes e servidores da vara e acusar, de modo criminoso, o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Justiça Federal

** Nota completa

“Não há duvida de que as declarações do ex-servidor da Justiça Federal Jedeão, publicadas na edição desta quarta-feira, 29, no jornal Folha de São Paulo, tem motivação política, ainda mais porque minha candidatura representa uma ameaça para quem deseja se manter no poder. O título já deixa claro isso ao se referir ao magistrado como “…juiz candidato…”

A Polícia Federal, a pedido do juiz Odilon, abriu contra o ex-servidor inquérito policial. O Ministério Público Federal, que atua em todos os pedidos de escuta telefônica feitos pela PF, transformou esse inquérito em ação penal. O juiz Odilon apurou todos os fatos e encaminhou o resultado ao Tribunal Regional Federal, em São Paulo, que abriu processo disciplinar e o exonerou por solicitação do magistrado.

A Justiça Federal, a PF e o MPF nunca estiveram envolvidos com escutas telefônicas ilegais. São acusações falsas contra três instituições federais feitas como mera estratégia de defesa e, também, para atender, ao mesmo tempo, interesses de adversários políticos.

Sem credibilidade, por ser réu confesso, e por ter sido exonerado a pedido do juiz Odilon, o ex-servidor Jedeão, nada mais tendo a perder, procura, agora, por grampos telefônicos supostamente ilegais.

Com relação às estatísticas sobre os bens, a referência feita pelo ex-servidor merece idêntica desconsideração. De todos os processos referentes à apreensão ou confisco de bens participam a PF e o MPF, tocando à Justiça Federal decidir sobre a medida.

Com certeza, o ex-servidor deverá responder na Justiça o processo pelo desvio dos recursos na Vara Federal e também por essas acusações falsas contra o juiz Odilon e as instituições citadas. Em sua carreira na Justiça Federal, Odilon jamais sofreu processo e seu passado limpo incomoda os adversários, que vêem nele um candidato forte para vencer a disputa ao governo do Estado de Mato Grosso do Sul no próximo dia 7 de outubro.

Assessoria de Comunicação – Coligação Esperança e Mudança

Juiz Odilon Governador 12

Comentários