Novo aparelho no Hospital de Câncer deve duplicar atendimento

O novo acelerador linear que chegou para Mato Grosso do Sul e foi entregue nesta terça-feira (16.5) ao Hospital do Câncer Alfredo Abrão vai reforçar o programa de reestruturação da saúde conduzido pelo Governo do Estado. A avaliação é do governador, que revelou os esforços realizados para conseguir o aparelho que vai dobrar a capacidade de atendimento em radioterapia no hospital. Além disso, Reinaldo Azambuja disse que em julho iniciam os preparativos para que o Hospital Regional Maria Aparecida Pedrossian receba um equipamento do mesmo modelo.

Reinaldo Azambuja visita Hospital do Câncer Alfredo Abrão – Foto: Chico Ribeiro

“Esse equipamento é um reforço importante para a saúde da nossa população, aliado a diversos investimentos. Após pouco mais de dois anos começa a se tornar evidente o resultado da reestruturação da saúde. Vamos entregar o Hospital do Trauma funcionando ainda este ano. Iniciamos as obras do HR de Três Lagoas, vamos licitar o HR de Dourados no mês que vem, ampliar o hospital de Corumbá, o de Ponta Porã está funcionando muito bem, estamos fazendo um esforço para melhorar Aquidauana e o atendimento para a região sudoeste. Coxim está funcionando muito bem e, agora, o Hospital do Câncer recebe esse aparelho, bem como começa a fazer exames de tomografia a partir da próxima semana. Esse é um momento histórico, em que vemos a mudança completa do perfil de saúde aqui no Mato Grosso do Sul na questão assistencial, resultado da nossa prioridade”, declarou.

Reinaldo Azambuja disse que iniciou a luta para trazer o equipamento em 2015, mas que já havia o pleito do hospital. O equipamento é ultramoderno, será o terceiro instalado no Brasil e faz parte do programa do Ministério da Saúde. “É uma conquista porque vamos dobrar as ofertas de radioterapia para MS com atendimento muito mais preciso devido ao avanço tecnológico que o aparelho disponibiliza. É um ganho para o Estado, uma conquista do hospital e uma luta para todos nós. Dentro de 120 dias estaremos em operacionalização e esperamos zerar a fila de pessoas que aguardam pelo tratamento de radioterapia em todo Estado”, destacou.

A vice-governadora Rose Modesto comemorou a conquista e enfatizou a otimização dos atendimentos com a nova tecnologia. “O Governo do Estado mais uma vez mostra que continua fazendo o que é prioridade para as pessoas. Hoje o Hospital do Câncer passa a ser uma referência nacional e é o terceiro do país que recebe um equipamento como esse. Com alguns meses nós vamos acelerar mais essa fila de pessoas que necessitam da radioterapia e humanizar ainda mais o atendimento”, disse.

Atendimentos

O secretário de Saúde, Nelson Tavares, tranquilizou os pacientes e informou que existe uma clínica contratualizada pela tabela SUS para garantir os atendimentos. “O governo não vai interromper o atendimento durante a troca do aparelho antigo e a instalação do novo. Já está pactuado com uma clínica os atendimentos. O custo dessa modernização para o Governo é em torno de R$ 1,5 porque tem que fazer as adaptações. O hospital precisa se reestruturar para receber um aparelho mais potente, como parte de gases e compressores. Serão feitos o dobro de atendimentos, por isso, será necessário comprar alguns acessórios avaliados em R$ 700 mil para dar mais agilidade”, explicou.

Tavares ressaltou que esse equipamento traz a modernidade para tratamento de câncer no Estado. “É um fator estratégico e importante para nossa população. Estive no Ministério da Saúde na semana passada e, além desse equipamento, a grande notícia é que a licitação do início da construção do bunker no Hospital Regional deve ser lançada no mês de julho. Vamos receber um segundo aparelho prioritário dos 80 que o Ministério programou e já comprou para o Brasil, ampliando a oferta de tratamento para nossa população e reduzindo a fila de espera”, declarou.

Para o presidente do Hospital do Câncer, Carlos Alberto Coimbra, a parceria estabelecida com o Governo do Estado, prefeitura de Campo Grande, bancadas municipal, estadual e federal, foi determinante para manter os serviços ofertados pela unidade. “O apoio da classe política sul-mato-grossense foi determinante para estabelecer e manter os serviços ofertados, bem como para ampliar os atendimentos existentes. Hoje atendemos 50 pacientes por dia e com o novo aparelho passaremos a 100 pacientes por dia. Sem dúvida é mais uma conquista em favor da nossa população”, afirmou.

Regionalização

Os municípios de forma isolada tem muita dificuldade de organizar o sistema de saúde, porque os serviços oferecidos não são completos em nenhuma cidade isoladamente. Assim, segundo Nelson Tavares, o projeto de regionalização prevê a descentralização via regionalização. “Racionalizando nosso sistema, sem qualquer investimento, já teríamos um ganho fantástico. Somado ao aporte priorizado pela gestão do governador Reinaldo Azambuja, a população começa a entender o que é investir em saúde, uma área extremamente complexa, mas que vem mostrando resultados positivos. Saltamos de 12% para 16% da arrecadação investida na saúde. Além disso, temos uma parceria excelente com a bancada federal, que vem direcionado recursos para estruturação do sistema de saúde. Racionalizar esse investimento para melhorar a vida de todos. Essa é nossa meta”, encerrou o secretário.

Comentários