Novo álbum de Almir Sater e Renato Teixeira é bem recebido pela crítica

Almir Sater e Renato Teixeira – Foto Divulgação

“Fosse apenas por ‘Tocando em frente’, a parceria de Almir Sater (sul-mato-grossense de 59 anos, mestre da viola caipira, cantor e ator) e Renato Teixeira (paulista de Santos, 70 anos, autor dos clássicos ‘Romaria’ e ‘Frete’ e sempre a melhor voz de suas composições) estaria entre uma das grandes da MPB.

Gravada por Maria Bethânia, a canção abriu caminho para um tipo de música interiorana que flerta com o pop sem prejuízo na qualidade ou no sentimento — a base para o que Paula Fernandes e Victor & Leo vêm fazendo há alguns anos, com grande êxito nas paradas.

Sendo assim, um disco novo de Almir e Renato é uma dessas surpresas a se comemorar com fogos. A simplicidade com que a amizade se formou é a mesma com que os dois compuseram as canções de “AR” e as gravaram em suas casas, na Serra da Cantareira.

A vestimenta foi acrescentada na meca country Nashville pelo americano Eric Silver (que tocou em discos de Shania Twain e Keith Urban e, no Brasil, trabalhou com Paula Fernandes, NX Zero e Titãs). Pianos, órgãos Hammond, bandolins e uns corais gospel não chegaram a afetar a essência das canções da dupla — ao contrário, deram a elas um caráter de rock alternativo leve, meio Mumford & Sons.”

A critica é assinada por Silvio Essinger, do jornal “O Globo”.

Comentários

comentários