Nove pessoas são condenadas por participar de construção de túnel para fuga de presídio

G1/JP

Polícia descobre túnel para fuga em massa da Cadeia Pública de Porto Alegre (Foto: Rodrigo Ziebell/SSP/Divulgação)

Foram condenadas por organização criminosa e promover ou facilitar fuga de presos nove pessoas envolvidas na construção de um túnel que daria acesso à Cadeia Pública de Porto Alegre, novo nome do Presídio Central. A estrutura foi descoberta em fevereiro deste ano. A decisão é da 1ª Vara Criminal do Foro Regional.

A única condenada a cumprir pena em regime fechado é Cíntia Santos de Paula, que recebeu cinco anos e nove meses de reclusão.

Logo após a operação que prendeu os participantes, um dos delegados falou sobre a mulher, que morava em uma das casas compradas pelos criminosos.

“Essa mulher, com antecedentes por tráfico de drogas, é visitante de presos, tem movimentação recente visitando presos vinculados à mesma facção criminosa, e ela morava na frente, com seu filho. Óbvio, para não chamar a atenção. Era uma laranja utilizada para não chamar atenção para a obra que se tinha nos fundos da casa dela”, disse o delegado Rafael Pereira.

Ezequiel Conceição, considerado o comandante do grupo, foi condenado a cinco anos e sete meses de prisão. Carlos Augusto Michaelsen, Daniel dos Santos Conceição, Dalvan Vargas Durante, Eliseu dos Santos, Josué Conceição, Odair José Haag e Oseias Rodrigo Flores deverão cumprir pena entre de quatro anos e seis meses e quatro anos e 11 meses em regime semiaberto.

O Ministério Público, porém, estuda a possibilidade de recorrer da decisão para aumentar as penas.

Outras nove pessoas foram pela participação no mesmo crime, cujo processo segue em trâmite.

O túnel foi descoberto no dia 22 de fevereiro deste ano. Na ocasião, oito pessoas foram presas, sendo sete homens e uma mulher.

A estimativa da Polícia Civil é de que, pelo acesso, poderiam fugir entre 200 a 1 mil detentos de uma facção, que fica em uma das galerias da Cadeia Pública. A corporação trata o caso como o maior plano de fuga da história do Rio Grande do Sul. Os indícios levam a polícia a acreditar que os presos realizariam a fuga durante o carnaval, aproveitando o feriado prolongado.

Faltava aproximadamente 40 metros para a conclusão do túnel. A passagem ligaria uma casa até o interior do presídio.

Comentários