Nova Andradina institui fundação de apoio à Ciência e Tecnologia

A Fundação Instituto Nova Andradina (Finova) está sendo criada para fomentar a realização de pesquisas que gerem o desenvolvimento local. Com atuação em todo o Mato Grosso do Sul e mais de 15 anos de experiência, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado (Fundect) foi convidada para participar do conselho curador da Finova. A posse da diretoria executiva, dos conselhos curador e fiscal aconteceu hoje (31), às 14h, no campus da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em Nova Andradina.

Pela manhã foi realizado seminário sobre o “Papel da Pesquisa Tecnológica e da Inovação no Desenvolvimento de Nova Andradina e Região”, com a presença do Diretor-Presidente da Fundect, Marcelo Turine, do superintendente de Ciência,Tecnologia e Inovação da Secretaria de Estado de Cultura, Turismo Empreendedorismo e Inovação, Renato Roscoe, do prefeito Roberto Hashioka entre outros participantes.

Com pouco mais de 50 mil habitantes, o município da região Leste, distante 301 quilômetros de Campo Grande, é o primeiro do Estado a criar uma fundação de incentivo à pesquisa. A economia local está baseada na agricultura – soja, milho, arroz, algodão, feijão, trigo, mandioca, cana de açúcar – e na pecuária – bovinos, bubalinos, suínos, ovinos, equinos, ave.

A cidade é um centro regional para as áreas de educação e saúde, contemplando os municípios de Anaurilândia, Ivinhema, Angélica, Bataiporã, Taquarussu e Bataguassu.

Renato Roscoe, Marcelo Turine (ao centro) e o prefeito Roberto Hashioka
Renato Roscoe, Marcelo Turine (ao centro) e o prefeito Roberto Hashioka

Fonte: Luciana Gabas – Fundect

Comentários

comentários