Notificações de dengue continuam aumentando e MS já tem quase 16 mil casos

Com 36 municípios na faixa de alta incidência de dengue, Mato Grosso do Sul possui 15.924 casos suspeitos da doença. As informações são do boletim epidemiológico da Ses (Secretaria de Estado de Saúde) divulgado nesta quarta-feira (27). Dourados conta com 208 casos confirmados.

Em todo o MS, os casos confirmados da doença totalizam 6.635. A maioria destes se concentra em Campo Grande, sendo 4.605. Na sequência, Três Lagoas registra 1.058. Sidrolândia registra 152.

O maior número de casos suspeitos (notificados) também é da Capital, com 6.992. Desponta na tabela de casos notificados a cidade de Figueirão, com 87 ao todo, contando com uma população de 2.997 pessoas. Entre outras cidades com alta incidência, estão: Três Lagoas, Vicentina, Sidrolândia, Água Clara, Mundo Novo, Camapuã, São Gabriel do Oeste, Dois Irmãos do Buriti, Aparecida do Taboado, Jaraguari, Corguinho.

É considerado “alta incidência” da doença quando se registra acima de 300 casos por 100 mil habitantes.

Dourados tem 585 casos notificados de dengue, com população estimada em 207.498 habitantes. Neste caso é considerada média incidência da doença (100 a 300 casos por 100 mil habitantes).

Nesta condição de média incidência estão 25 cidades no Estado. Entre estas Glória de Dourados, Bodoquena, Costa Rica, Maracaju, Nova Alvorada do Sul, Caarapó, Corumbá, Jardim e outras.

O crescimento no número de casos notificados em MS é notável da semana anterior para a atual, quando foram registrados 14.060 para 15.924, ou seja, 1.864 a mais.

Consta no boletim de ocorrência que o total de óbitos por dengue em Mato Grosso do Sul chega a cinco. Campo Grande registrou duas vítimas fatais pela doença. Em Três Lagoas também são dois óbitos. Dourados registrou no dia 22 de março, a morte de um garoto de 11 anos por dengue hemorrágica.

Mais um caso de vítima fatal possível 

Nesta terça-feira (26) uma mulher de 58 anos morreu no Hospital da Vida, em Dourados, sob suspeita de dengue hemorrágica.

Conforme apuração preliminar com o coordenador do Núcleo de Vigilância Sanitária de Dourados, Devanildo de Souza, um exame realizado num laboratório de análises particular na cidade atestou a morte por dengue.

Agora a amostra colhida da vítima será encaminhada ao Lacen (Laboratório Central de MS) para oficialização do fator que motivou o óbito da douradense.

Se constatada a morte por dengue, será o sexto caso com vítima fatal no Estado.

Recomendações da SES
No boletim, a Secretaria destaca que a principal ação que a população tem a fazer é se informar, conscientizar e evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer época do ano.

O mosquito Aedes Aegypti além de transmitir a Dengue tornou-se um dos maiores inimigos da saúde pública por transmitir também o vírus Zika e a Febre do Chikungunya.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

– Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;

-Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

-Manter caixas d’agua bem fechadas;

– Remover galhos e folhas de calhas;

– Não deixar água acumulada sobre a laje;

– Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

– Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

– Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

– Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

– Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

– Acondicionar pneus em locais cobertos;

– Fazer sempre manutenção de piscinas;

-Tampar ralos;

– Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

– Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

– Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

– Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

– Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem
esticadas para não acumular água;

– Catar sacos plásticos e lixo do quintal

Comentários