'Nossa privacidade está sendo atacada', diz chefe da Apple

“Nossa privacidade está sendo atacada em vários frontes.” A frase é de Tim Cook, presidente-executivo da Apple, durante um discurso feito nesta segunda-feira (1º) em um jantar do Electronic Privacy Information Center, em Washington, capital dos Estados Unidos.

Tim Cook, presidente-executivo da Apple - Foto: Reprodução
Tim Cook, presidente-executivo da Apple – Foto: Reprodução

Cook estava sendo homenageado pelo grupo como um “campeão da liberdade” pela sua liderança na Apple.

Em seu discurso, o presidente-executivo disse que a “erosão” da privacidade representa uma ameaça para o modo de vida americano, reportou o site The Verge.

“Eu estou falando a vocês do Vale do Silício, onde algumas das mais proeminentes e bem-sucedidas companhias vem construindo seu negócio convencendo seus clientes a serem complacentes sobre suas informações pessoais. Elas estão engolindo tudo que podem aprender sobre vocês e estão tentando monetarizar isso. Nós achamos que isso é errado. E não é o tipo de empresa que a Apple quer ser”, disse Cook.

O comentário de Cook parece direcionado a companhias como Google, Facebook e Twitter, que coletam inúmeros dados de seus usuários para tornar a publicidade mais eficiente.

O Google é o principal rival da Apple em mercados como o de smartphones, no qual o Android tem 81,5% de participação, contra 14,8% do iOS.

“Vocês podem até gostar desses ditos serviços gratuitos, mas nós achamos que eles não valem a pena ter seu e-mail e histórico de busca ou até suas fotos de família transformados em dados e vendidos para Deus sabe que propósitos publicitários”, disse Cook sobre serviços gratuitos como o Gmail. “E nós achamos que, algum dia, os clientes vão ver o que isso realmente é.”

O representante da Apple disse ainda que a companhia acredita que a privacidade é um direito fundamental das pessoas, exigido pelo povo norte-americano e pela Constituição do país.

A Apple possui seu próprio modelo de propaganda, o iAds, que funciona no sistema iOS. Os anúncios permitem que companhias cruzem referências do endereço de e-mail e número do telefone anonimamente para mirar seus consumidores. É possível alterar as configurações do iAds.

Folha.com

Comentários

comentários