Nome do novo técnico divide diretoria do Flamengo

Gazeta Esportiva.com

Atletas treinam na Ilha do Urubu enquanto diretoria não decide o nome do novo técnico (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)
A diretoria do Flamengo pretende anunciar até o fim desta semana o nome do novo treinador que vai substituir Paulo César Carpegiani, demitido após a derrota de 1 a 0 para o Botafogo, que custou a eliminação no Campeonato Carioca. Porém, a definição está longe de ser consenso, com vários fatores sendo pesados e gerando incertezas. Cuca é o preferido do presidente Eduardo Bandeira de Mello e do CEO Fred Luz, porém, o novo diretor de futebol, Carlos Noval, e o vice-presidente de futebol, Ricardo Lomba, não morrem de amores pelo trabalho do ex-treinador do Palmeiras.

Bandeira defende a ideia de um treinador de nome, pois teme que a torcida não entenda uma aposta, como foi Zé Ricardo, que sempre trabalhou sob pressão na Gávea. Apesar de experiente, Carpegiani também foi visto como aposta por ter sido contratado para um cargo mais administrativo.

Noval e Lomba, porém, entendem que Maurício Barbieri, interinamente na função, seria a melhor alternativa, pois conhece bem o elenco e não mudaria de forma brusca a filosofia em um momento que o clube está no meio da disputa da Copa Libertadores.

Outros dois nomes foram ventilados. O primeiro foi Renato Gaúcho, mas os flamenguistas sabem que neste caso teriam que esperar o término do Campeonato Gaúcho. Além disso, dificilmente ele deixaria o Grêmio em um momento no qual é tratado como unanimidade. Outro cogitado foi Luiz Felipe Scolari. O investimento, neste caso, é tratado como de alto risco, pois o comandante está fora do Brasil desde a Copa do Mundo de 2014, quando foi o técnico na trágica goleada de 7 a 1 sofrida contra a Alemanha.

Certo é que o novo treinador ou o próprio Barbieri terá uma equipe nova, pois, além de Carpegiani e do diretor de futebol Rodrigo Caetano, foram dispensados os auxiliares Jayme de Almeida e Rodrigo Carpegiani, o gerente Mozer e o preparador físico Marcelo Martelotte.

Dentro de campo, o elenco treinou na parte da manhã, mas a atividade foi curta no Ninho do Urubu. O volante Rômulo, com dores musculares na coxa direita, se limitou a dar voltas ao redor do campo, antes de seguir o tratamento. O plantel trabalha nesta quarta-feira em tempo integral. O Flamengo só volta a jogar no sábado dia 14 de abril, quando faz a estreia no Campeonato Brasileiro medindo forças com o Vitória, no Estádio Barradão, em Salvador (BA).

Comentários