No Estado 14 municípios já decretaram situação de emergência

As intensas chuvas das últimas semanas que tem causado prejuízos para inúmeros municípios do sul do Estado resultaram na manhã de hoje (2) em uma reunião entre o Governo, a Coordenadoria da Defesa Civil e municípios da região do Conesul. O encontro aconteceu na sede da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e da Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos (Agesul).

Foto: Diogo Nolasco/ TV Morena
Foto: Diogo Nolasco/ TV Morena

Já são 14 os municípios que decretaram situação de emergência por conta de estragos causados pelas chuvas. Das 15 cidades atingidas, apenas Mundo Novo ainda não decretou emergência.

Conforme a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil Tacuru, Naviraí, Coronel Sapucaia, Amambai, Sete Quedas, Paranhos, Caarapó, Iguatemi., Novo Horizonte do sul, Juti, Aral Moreira, Eldorado, Itaquiraí e Japorã foram os municípios que decretaram emergência.

De acordo com o secretário de Estado de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, durante o encontro dez prefeitos realizaram reivindicações que serão analisadas emergencialmente pelo Governo do Estado. “Apesar de já estarmos mantendo e atuando com os contratos de manutenção vigentes e atendendo as emergências com a nossa equipe técnica da Agesul, a reunião serviu para termos noção de problemas mais especifícos dos municípios, que não são somente as estradas estaduais, mas também questões internas na área urbana e estradas vicinais”, explicou.

Segundo o coronel da Coordenadoria Estadual da Defesa Civil, Adriano Rampazzo, atualmente já foram catalogadas entre as pontes municipais: 40 destruídas e 21. Já as estaduais somam cinco, sendo três pontes estaduais destruídas e duas danificadas. “A reunião de hoje foi positiva porque cada prefeito pode falar sobre a situação de seu município, mas no geral as pontes é que foram mais afetadas pelas chuvas. Nós da Defesa frisamos as orientações que já foram dadas, com relação a documentação que os municípios devem ter para que possamos decretar o estado de emergência. Acredito que isso já aconteça amanhã. Temos que fazer isso o mais rápido possível porque a chuva deve continuar e mudar ainda mais o cenário dos municípios. O Estado vai ter que entrar com recursos e também pleitear junto ao Governo Federal um dinheiro específico para a recuperação das pontes”, disse.

Na MS-487, ponte que liga MS ao Paraná foi destruída - Foto: Umberto Zum / Tá na Mídia Naviraí
Na MS-487, ponte que liga MS ao Paraná foi destruída – Foto: Umberto Zum / Tá na Mídia Naviraí

Para o prefeito de Amambaí e representante do Consórcio do Cone Sul, Sérgio Barbosa, o encontro foi uma oportunidade para definir quais serão as prioridades. “Temos vários problemas que vão além das estradas estaduais e pontes, precisamos que o governo tome uma decisão administrativa e que potencialize as ações neste momento de dificuldade financeira, o que pode ser um alívio para as estradas dos nossos municípios. Sabemos que o decreto de emergência abre uma oportunidade para buscar recursos, mas essa oportunidade geralmente se concretiza em quatro ou cinco meses, e nós precisamos resolver o dia de hoje. Vivemos um momento de crise e nenhum dos municípios afetados pelas chuvas tem um fundo específico ou estava preparado para essa situação. Nós temos apenas um problema financeiro e sorte nossa que ainda não temos problemas com mortes. Está reunião veio nos trazer um norte”.

Participaram do encontro os representantes de Tacuru, Coronel Sapucaia, Paranhos, Juti, Iguatemi, Aral Moreira, Sete Quedas, Eldorado, Juti, Mundo Novo , os deputados estaduais Felipe Orro e Renato Câmara e o coronel da Defesa Civil de MS, Isaías Bittencourt.

Comentários

comentários