No domingo sem futebol campo-grandenses vestem a camisa em protesto contra a corrupção

O protesto “Vem pra Rua” que aconteceu neste domingo (04) levou muitos campo-grandenses aos altos da Afonso Pena, com o intuito de manisfestar opiniões contrárias a corrupção, apoiar o juiz Sérgio Moro e as chamadas “10 medidas contra a corrupção” que tramitam nas pautas dos parlamentares recentemente.

Manifestantes se concentram na Avenida Afonso Pena (Foto Paulo Francis)
Manifestantes se concentram na Avenida Afonso Pena (Foto Paulo Francis)

Ainda não foi divulgado pela organização do evento, o número de participantes que estavam na Avenida Afonso Pena. O ato começou em frente à Praça do Rádio Clube com um trio elétrico, onde os organizadores gritavam palavras de ordem e chamavam os manifestantes para gritarem juntos.

Ouvia-se gritos de “1, 2, 3, Renan no xadrez!”, fazendo alusão ao Senador Renan Calheiros. Também pediam a prisão do ex-presidente da república Luis Inácio Lula da Silva quando gritavam em uníssono “Lula na cadeia, Lula na Cadeia.”

Muitos participantes do ato contra a corrupção, carregavam cartazes com dizeres “Somos todo Moro”, em apoio ao juiz Sérgio Moro e alguns até mais radicais pedindo a intervenção militar.

(Foto: Tatiane Lavor)
(Foto: Tatiane Lavor)

 

Cleonice Dourados (49), conta que considera a manifestação fraca e que os campo-grandenses deveriam exercer melhor o direito de cidadão. “Essa manifestação é fraca. Pouca gente, o povo de Campo Grande deveria exercer melhor seu direito. E esse pessoal do trio elétrico grita fora Renan, mas não grita fora Marun.”

 

 

 

 

(Foto: Tatiane Lavor)
(Foto: Tatiane Lavor)

 

 

Adalberto Vilanova (54), protesta apenas por apoio ao juiz Sérgio Moro, segundo o manifestante apenas o magistrado tem a capacidade de acabar com a corrupção. “Eu estou apoiando a lava-jato e o Sérgio Moro. Só ele que vai acabar com a corrupção, ainda mais com essas medidas que querem tirar aí.”

 

 

 

 

A maioria dos manifestantes se mostrava preocupado em opinar contra a corrupção, no entanto os organizadores do protesto consideravam de extrema importância acabar com tudo que é ligado ao comunismo no Brasil.

Um dos organizadores, identificado apenas com Edson disse que o Brasil deveria seguir o exemplo de países europeus que segundo ele aboliram o comunismo. “A Ucrânia é um país sem corrupção porque acabaram com o comunismo, lá é proibido essa doutrina. Aqui no Brasil tem que ser igual, devemos ler mais Olavo de Carvalho que desconstrói toda essa doutrina.”

O protesto seguiu até a sede do Ministério Público Federal em Campo Grande, também na Afonso Pena, onde os organizadores encerraram o manifesto com o Hino Nacional e com as mesmas palavras de ordem do início do protesto.

“1, 2, 3 Renan no xadrez!” “Lula na cadeia”

Comentários