Nenhuma mulher é eleita para a Assembleia de MS

Nenhuma das 101 candidatas alcançaram voto suficiente para ocupar uma das 24 cadeiras da Assembleia Legislativa

Em Mato Grosso do Sul, a bancada feminina foi ‘eliminada’ pelos próximos quatro anos. Até então haviam três deputadas ocupando cadeiras entre 21 homens na Casa de Leis, sendo elas Mara Caseiro (PSDB), Antonieta Amorim (MDB) e Gazielle Machado (PSD).

Plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. – Crédito: Divulgação/Arquivo/ALMS

Neste ano, após o resultado nas urnas durante a noite de ontem (7), foi confirmado que nenhuma das 101 candidatas mulheres, praticamente 1/3 do número de pedidos de candidaturas para a vaga, alcançaram voto suficiente para eleição.

Em Mato Grosso do Sul, 52,121% do eleitores são mulheres. Elas contabilizam 978.830 votantes, enquanto homens são 899.152.

SENADO

Em contrapartida, a única candidata ao Senado, a advogada Soraya Thronicke (PSL), surpreendeu no resultado das urnas ontem a noite sendo eleita com 373.712 votos.

Ela foi segunda candidata mais bem votada entre todos os 13 postulantes ao cargo, ficando atrás apenas de Nelsinho Trad (PSD).

Agora, nos próximos quatro anos o MS contará com duas senadoras, Soraya e Simone Tebet (MDB), além de Nelsinho Trad, eleito com 424.058 votos.

CÂMARA FEDERAL

Na disputa pelo cargo de deputado federal, alcançaram o cargo as candidatas Rose Modesto (PSDB) com 120.901 votos e Tereza Cristina (DEM) com 75.068 votos.

Além delas, foram eleitos também Fábio Trad (PSD) [89.385 votos], Beto Pereira (PSDB) [80.500 votos], Tio Trutis (PSL) [56.339], Vander Loubet (PT) [55.970], Dr. Luíz Ovando (PSL) [50.376], Dagoberto (DEM) [40.233).

Comentários