Natal: 85% dos consumidores querem pesquisar preços antes das compras

A CDL CG (Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande) divulgou pesquisa realizada pela CNDL/ SPC Brasil, que mostra 85% dos consumidores querendo pesquisar preços antes de realizar as compras definitivas para o Natal. O perfil também representa os Campo-grandeses que irão presentear nas festas Natalina, mas pretendem avaliar os preços antes e economizar na compra. Assim, a tradição em ofertar uma “lembrança” aos familiares e amigos não deixará de fora a também tradicional pesquisa de preços. Contudo, os gastos, à principio, não devem ser grandes, e o valor apontado fica pouco mais de R$ 100.
O presidente da CDL CG, Adelaido Vila, lembra que a pesquisa de preços sempre é um bom aliado do consumidor. “Temos um comércio bastante variado e a pesquisa de preço contribuem muito para que o consumidor consiga realizar as compras, em qualquer época do ano, especialmente no Natal, onde o presentear é uma tradição”, destacou.
A pesquisa, que ouviu 761 pessoas, nas 27 capitais brasileiras, também destacou que para 2018 há uma disposição maior de consumo, comparado ao mesmo período do ano passado. Entre os entrevistados, cerca de 27% declarou que irá gastar um valor superior ao de 2017. Já 30% acredita gastar o mesmo valor e 22% espera gastar menos.
Considerando apenas os entrevistados que vão fazer compras para o Natal, 29% afirmaram que vão adquirir presentes melhores, enquanto 25% se queixaram dos altos preços. Outro dado interessante para 2018 é que 22% das pessoas afirmaram que economizaram ao longo do ano para poder gastar mais com os presentes natalinos. Dentre estes, as mulheres correspondem 33%.
Diminuição dos gastos
Entre os que irão diminuir os gastos, 34% responderam que a principal razão é a situação financeira ruim, ou orçamento apertado. Já 30% alega que querem economizar e 14% disseram ter outras prioridades de compra, como a casa própria, ou um automóvel. E, 12% estão desempregados.
Para Adelaido Vila, a crise econômica brasileira é um dos fatores que contribuem com a prática da pesquisa de preso. “Podemos dizer que é um hábito já consolidado entre os consumidores fazer um levantamento dos preços, antes da aquisição, sendo visto como uma maneira prática de economizar. Assim, os consumidores podem comprar os presentes, sem que o orçamento familiar seja estourado”, ponderou.
Mais procurados
De acordo com a pesquisa, os filhos ainda são os mais presenteados e roupas continuam no topo dos itens mais procurados, como presente de Natal. No ranking dos produtos, as roupam ocupam a primeira posição e, 55% dos entrevistados declaram que esta é a principal opção, seguida por sapatos, com 32%, perfumes e cosméticos, 31%, brinquedos, 30% e acessórios, como bolsas e bijuterias, com 19%.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui