“Não quero construir muro, quero pontes”, diz governador sobre segurança pública no MS

Da redação

Dentro do pacote de obras do Governo Presente, está prevista a ampliação de 10 presídios e também a entrega de duas novas unidades prisionais. Além disso, haverá investimento em mais equipamentos e serão entregues outras 300 viaturas com maior capacidade de combate, é o que disse o Governador Reinaldo Azambuja durante entrevista ao programa Tribuna Livre, desta terça-feira (10), onde também argumentou sobre a atual situação da Fronteira.

“Mato Grosso do Sul diminuiu o índice de criminalidade nos últimos anos e o grande desafio é continuar a curva descendente, mesmo enfrentando as situações de Fronteira”, afirmou.

Reinaldo ressaltou que precisa ter uma maior presença das forças federais nas Fronteiras e que está cobrando que medidas sejam tomadas pelo governo nacional. “Cobrei da Dilma, do Temer e continuo cobrando do presidente Bolsonaro. É inconcebível um estado que tem mais de 1.400 quilômetros com a fronteira entre Bolívia e Paraguai ter uma ausência das forças federais. Se tirarmos o DOF e a PRF veremos uma lacuna, um vazio nas fronteiras”.

“Precisamos fortalecer isso e ter muito investimento em tecnologia, videomonitoramento, integração de inteligência para o combate ao crime organizado e atuação brava presente, mais policiais nas ruas, mas segurança para a população”, frisou o governador, que defende a criação de um núcleo comum e compartilhado entre todas as polícias para fazer monitoramento de todas as questões relacionadas ao crime.

“Eu não quero construir muro, pelo contrário quero construir pontes, mas vamos ter segurança. Se a gente tiver uma inteligência compartilhada e mais presença federal nas fronteiras já melhora muito a situação”, concluiu.