Não existe improviso no Enem, diz presidente do Inep

A pouco mais de uma semana para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Francisco Soares, recomenda aos estudantes que vão fazer o exame que evitem a improvisação.

enem-2015“Não existe improvisação no Enem, a ansiedade é inútil porque você tem que se preparar e o trabalho é uma corrida de um ano, de dois anos”. A entrevista foi divulgada hoje (9) pelo Ministério da Educação (MEC), na internet. Segundo Soares, o Enem premia o esfoço e tranquilizou os que não conseguirem sucesso agora.
“O Enem é uma grande oportunidade, mas cada um tem que fazer a sua parte. São muitos os candidatos e quem não conseguir [uma vaga] em um ano, consegue nos próximos. São muitas vagas, muitas universidades e muitos programas”, disse.

Na reta final, ele orienta que todos continuem estudando e, principalmente, revisem os conteúdos. Soares cita como exemplo a redação, que não permite improviso, e diz que atualmente há recursos e portais na internet que podem ajudar nos estudos.

Quanto ao Inep, segundo o presidente, a maior preocupação é com a segurança do Enem. “É muito importante que o exame seja isonômico, que quem de fato conquiste a vaga numa universidade pública ou privada desejada esteja lá por méritos e não por um processo escuso”.

Soares disse ainda que, como segurança adicional, este ano a abertura dos malotes com as provas ocorrerá meia hora após o fechamento dos portões, para que os estudantes estejam acomodados nas salas e com a presença de servidores públicos. “[Tenho] orgulho de dizer que produzimos um exame seguro”, afirmou.

O Enem será nos dias 24 e 25 de outubro. As provas serão aplicadas em todos os estados e no Distrito Federal. Ao todo, mais de 7,7 milhões de candidatos confirmaram a inscrição. O local de prova está disponível apenas pela internet, na página do Enem.

Para ajudar nos estudos para o Enem, este aplicativo traz todas as questões do Enem, desde a edição de 2009. No sistema, é possível escolher as áreas do conhecimento que se quer estudar. O acesso é gratuito.

Fonte: Agência Brasil 

Comentários

comentários