Nadador húngaro é indiciado por assédio sexual

Gazeta Esportiva.com

Atleta deixou a Coreia após pagamento de multa (Foto: Manan VATSYAYANA / AFP)

O nadador húngaro Tamas Kenderesi, bronze nos 200m borboleta nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, foi indiciado nesta quarta-feira por assédio sexual na Coreia do Sul.

De acordo com a Promotoria do Distrito de Gwangju, Kenderesi cometeu um ato indecente de forma compulsiva contra uma dançarina em uma boate, no último final de semana, durante o período de disputa do Mundial. Ele recebeu permissão para deixar o país após pagar uma multa de US$ 2,5 mil (cerca de R$ 9,5 mil).

No entanto, por se tratar de um delito sumário segundo as leis sul-coreanas, o nadador húngaro ainda será julgado de forma administrativa no país. Assim, não precisará passar por tribunal, e por isso pôde deixar o país.

A agência de notícias Reuters dá conta de que o episódio teria acontecido na madrugada do último sábado para domingo (manhã de sábado no Brasil), em uma boate em Gwangju. Em depoimento, Tamas Kenderesi teria admitido que “tocou sem pensar” em uma dançarina, que tem sua identidade mantida em sigilo.

Debaixo d’água, o húngaro também não foi feliz na Coreia do Sul. Na prova dos 200m borboleta, sua especialidade, Kenderesi terminou na última colocação.

Comentários