Na disputa pela prefeitura de Campo Grande, Kemp idealiza “mandato participativo”

Nádia Nicolau

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) é pré-candidato na eleição para prefeito de Campo Grande em 2020. “O meu nome encontrou consenso no partido. Aceito com alegria e satisfação”, declarou.

Deputado Pedro Kemp durante entrevista ao programa Tribuna Livre. Foto: Nádia Nicolau.

Kemp destacou que o Partido dos Trabalhadores viveu um período de crise, com duras críticas, o que acabou desgastando a sigla, resultando inclusiva na perda de espaço nas últimas eleições.

“A fase pior que nos atingiu já passou, a militância resistiu e está animada”. Ele também disse que agora o desafio é lançar candidaturas e adiantou que foi feita uma rodada de conversas no campo progressista.

Em seu discurso no pleito ao cargo de prefeito, Kemp afirmou que existem questões importantes aos filiados. “A justiça social e a democracia que estão na origem do PT. A classe dos trabalhadores sempre teve o PT como a oportunidade de abrir as portas da política para as pessoas que antes não tinham mandato”.

Como foi amplamente divulgado, o líder maior do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi acusado por diversos crimes. Sobre esse assunto, o deputado Pedro Kemp comentou que o grande problema do partido foi a prática do financiamento de campanha.

Planos para mandato no Executivo

Um mandato participativo. Isso é o que o pré-candidato pretende estabelecer caso seja eleito para ser o chefe do Executivo Municipal. “Um programa de governo com administração participativa e criar instrumentos de democracia”.

Kemp também quer colocar mirar um “novo olhar para Campo Grande, na educação, saúde pública, servidores públicos, estabelecer nova relação, debater com a sociedade as necessidades e prioridades como serão tomadas as decisões, priorizar a qualidade do serviço público e investimentos de qualidade para a população”.

Lula e Papa Francisco

Nessa quinta-feira (13), Lula esteve com o Papa Francisco no Vaticano.  A foto dos dois juntos foi publicada em redes sociais e ganhou repercussão na web, alguns internautas elogiaram e outros repudiaram o encontro.

Sobre essa visita do ex-presidente ao Papa, Pedro Kemp disse “Lula é, para nós do PT, um símbolo da luta pela justiça social”. Para o deputado a reunião representa “reconhecimento da liderança que Lula exerceu e ainda exerce no mundo, no combate à pobreza. Eles têm isso em comum, o Papa tem levado a igreja se comprometer com as questões sociais”.

CLIQUE AQUI PARA CONFERIR A ENTREVISTA COMPLETA.