Na Capital, Casa da Mulher Brasileira ganha destaque internacional

O trabalho desenvolvido pela Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande que já se consolidou como referência nacional, agora ganha destaque internacional com a visita da Dra. Simone Bohn, Professora de Ciência Política da University York, Toronto, Canadá.

A Subsecretária de Políticas para a Mulher Carla Stephanini demonstrou a satisfação de receber a professora canadense, destacando a experiência exitosa que a Campo Grande demonstra e comprova para sociedade brasileira e a comunidade internacional de que é possível integrar serviços na prestação de atendimento e acolhimento às mulheres vítimas de violência.

“Mais uma vez a CMB é visitada pelo seu referencial no trabalho de acolhimento e proteção à mulher vítima de violência, desta vez pela Dra. Simone, que nos honra e traz mais responsabilidade quando nosso trabalho se consolida como uma referência nacional e agora caminha para se tornar internacional”, enfatiza Carla.

Para a professora a Casa da Mulher Brasileira de Campo Grande é exemplar em múltiplos níveis e reconheceu como eficaz a política de enfrentamento à violência contra a mulher implementada pela atual gestão por meio do decreto que instituiu a Rede Municipal de atendimento à mulher vítima de violência.

“A integração no mesmo espaço físico de diversos serviços públicos e sobretudo seu funcionamento harmonioso entre todos os setores, são dignos de nota. Trata-se claramente de um modelo de gestão a ser replicado no restante do país, para o benefício das mulheres brasileiras. O Canadá também se beneficiaria desse tipo de política pública para mulheres.

Casa da Mulher Brasileira – A Casa da Mulher Brasileira oferece atendimento à mulher em situação de violência, concentrando em um mesmo local os serviços essenciais: acolhimento e triagem, Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), equipe multidisciplinar (psicólogas e assistentes sociais), Promotoria e Defensoria Pública e a 1ª Vara de Medidas Protetivas do País, além de abrigo de passagem, brinquedoteca, orientação ao trabalho e central de transportes.

Comentários