Museu Nacional receberá 2 mil obras de arte da Itália em 2020

Portal G1

Museu Nacional em obras após incêndio em setembro de 2018 — Foto: Reprodução/TV Globo
Museu Nacional em obras após incêndio em setembro de 2018 — Foto: Reprodução/TV Globo

Nove meses depois do incêndio que destruiu o Museu Nacional na Quinta da Boa Vista, na Zona Norte da cidade, o Ministério da Cultura da Itália anunciou o envio de quase 2 mil obras de arte para o acervo da instituição. O apoio do país europeu foi antecipado pelo G1 no dia 11.

Estátuas de mármore e pinturas sobre gesso com mais de 2 mil anos estão entre as peças que podem vir para o Rio no início de 2020. O Governo da Itália pretende fazer o empréstimo das obras por até 20 anos e expor os tesouros culturais no prédio do consulado, enquanto a restauração do museu não estiver concluída.

A parceria entre os países promete recuperar uma parte importante do acervo do museu: uma coleção que veio da Itália com Teresa Cristina, esposa de Dom Pedro II, que viveu no palácio por 46 anos e trouxe centenas de peças encontradas no sítio arqueológico de Herculano, no Sul da Itália.

Pinturas sobre gesso de quase 2 mil anos vão chegar ao Rio em 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo
Pinturas sobre gesso de quase 2 mil anos vão chegar ao Rio em 2020 — Foto: Reprodução/TV Globo

A coleção chegou a ter 700 itens, com objetos que resistiram à erupção do vulcão vesúvio, mas desapareceram no incêndio do Museu Nacional.

Os diretores do Museu de Nápoles e do Parque Arqueológico de Herculano visitaram o museu da Quinta. O diretor do Museu de Nápoles explicou que os achados arqueológicos das cidades italianas de Pompéia e Herculano são patrimônios mundiais que devem restabelecer a ligação com o Brasil.

A vice-ministra da Cultura da Itália, Lucia Borgonzoni, disse que o objetivo desta colaboração é estreitar os laços culturais com o Brasil e que especialistas italianos vão contribuir na restauração das peças da coleção de Teresa Cristina que foram resgatadas nos escombros do museu.

Elizabetta Canna, uma das maiores especialistas em restauração do mundo, viu as peças e avaliou que a recuperação, apesar de exigir muito cuidado, é possível.

Peças guardadas por Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II, que estavam expostas no Museu Nacional — Foto: Reprodução/TV Globo

Peças guardadas por Teresa Cristina, esposa de D. Pedro II, que estavam expostas no Museu Nacional — Foto: Reprodução/TV Globo

Comentários