Município de MS registra aumento de 300% nos registros de casos de sífilis

Da Redação

Autoridades de saúde de Três Lagoas –a 338 km de Campo Grande– apontam um aumento de 300% no número de novos casos de sífilis no município, entre abril e junho deste ano. O dado consta no boletim epidemiológico do programa municipal IST (Infecções Sexualmente Transmissíveis/Aids).

Penincilina, medicamento usado no tratamento da sífilis; Três Lagoas teve avanço no número de casos da doença. (Foto: Daniella Leduc/JP News).

No primeiro trimestre, foram 11 novos diagnósticos da doença na cidade. Três meses depois, o número chegou a 44, segundo o JP News. Assim, o semestre terminou com 55 novos casos, média de 9 confirmações ao mês. Deste total, 34 pacientes são homens e 21, mulheres.

Em todo o ano passado, a cidade registro 102 casos em tratamento na rede pública três-lagoense. O Programa Municipal de IST/Aids ressalta que a sífilis afeta principalmente homens entre 25 e 29 anos, que representam 23% dos pacientes na cidade. Em segundo lugar, com 18% dos casos, está a faixa etária entre 30 e 34 anos.

O diagnóstico da sífilis é feito gratuitamente em um teste rápido, que identifica também a presença dos vírus HIV e causadores das hepatites B e C. O tratamento também é oferecido na rede pública, com a aplicação de doses do antibiótico penincilina benzatina em duas ou três doses –no caso primário, uma única dose é suficiente para a cura.

Comentários