Multa na Justiça é derrubada e Damião está livre do Santos novamente

O atacante Leandro Damião está livre do Santos novamente e pode assinar contrato com qualquer outro clube.

Atacante Leandro Damião (Foto: Agif)
Atacante Leandro Damião (Foto: Agif)

Os advogados do jogador entraram como uma correição no TST (Tribunal Superior do Trabalho) e derrubaram a multa rescisória que obrigava os clubes a desembolsarem R$ 870 milhões para contratar o centroavante.

No início desta semana, o clube paulista havia conquistado este direito através de uma medida cautelar obtida no TRT (Tribunal Regional do Trabalho).

Entretanto, o estafe de Damião estava seguro de que derrubaria a decisão do TRT e, inclusive, aconselhou o atleta a não se reapresentar ao Santos na última quarta-feira, no CT Rei Pelé. O centroavante seguiu as orientações e não apareceu no clube paulista mesmo com ameaças de multas.

“Livre ele já estava desde a liminar anterior (TST). Depois o Santos trocou de advogado e conseguiu a medida cautelar que impôs uma multa para quem quiser contratar o Damião. É incabível pois tirava a força da decisão do TST. Fizemos uma segunda uma correição parcial contra o juiz que deferiu o arresto, suspendendo a decisão do TRT”, afirmou o advogado de Damião, Ricardo Gehling, ao UOL Esporte.

“Agora ficou definitivamente estabelecido o direito do Damião de exercer a sua função e trabalhar para quem ele quiser. Não há hipótese de o Damião ser condenado a trabalhar no Santos. O que se discute são valores. O santos faz isso para tentar dificultar a contratação do atleta. Isso chega a ser má fé, como o santos já avisara que ia fazer quando publicou uma nota dizendo que o Damião ganhou, mas não levou”, completou.

Para os representantes do atleta, o Santos deve dois anos de direitos de imagem (maior parte do salário), três meses de CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), conhecida como carteira profissional, além de cinco meses de fundo de garantia.

A diretoria santista esperava que Leandro Damião se apresentasse ao técnico Dorival Júnior nesta semana. O presidente Modesto Roma, inclusive, alega que o clube paulista está disposto a pagar o alto salário do jogador – cerca de R$ 700 mil mensais. (UOL)

Comentários

comentários