Mulher morre depois de fazer cirurgia para remover estrias

Uma mulher teve infecção generalizada após passar por cirurgia estética e acabou morrendo em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Familiares da vítima acreditam que o médico possa ter sido responsável pelas complicações sofridas pela mulher após as operações. Até o momento, o médico responsável pelos procedimentos não se manifestou e não foi encontrado.

Daniela morreu nove dias depois de cirurgia em Praia Grande Foto: Reprodução Facebook
Daniela morreu nove dias depois de cirurgia em Praia Grande Foto: Reprodução Facebook

Daniela Desa Avighi, de 36 anos, realizou três procedimentos, entre os quais estavam lipoaspiração, peeling para tirar estrias e aumento nos seios com silicone. “Ela fez esses três procedimentos no mesmo e dia e no mesmo dia teve alta. A partir daí ela começou a ter problemas de dores, a pressão caia, mas parecia ser algo normal”, diz Cláudio de Sá Avighi, irmão da vítima.

Após a morte, o irmão de Daniela registrou um boletim de ocorrência no 1° Distrito Policial de Praia Grande, nesta segunda-feira (6). “Ela tinha pego uma infecção generalizada. Segundo o médico que a atendeu, pode ter sido em decorrência da raspagem que ela fez, que foi bem agressiva. Um dos médicos classificou a raspagem como queimaduras de segunda grau. Deram o nome de peeling glúteo, mas foi uma raspagem, que foi feita com bisturi e que retirou a pele”, afirma Cláudio.

Os procedimentos foram feitos por um cirurgião plástico no Hospital Canto do Forte em Praia Grande. Após alguns dias com dores, a vítima foi até um Pronto Socorro, que a encaminhou até um hospital de Santos devido à gravidade de seu estado de saúde. “Se uma paciente dele faleceu, talvez por conta da cirurgia que ela fez com ele, ele deveria no mínimo dar uma atenção para a família dela, esclarecer os fatos, me receber para a gente conseguir esclarecer tudo. Ele sumiu”, conclui.

A Direção do Hospital disse que deu todas as condições necessárias para que o médico realizasse esses procedimentos cirúrgicos e que a paciente saiu de lá em boas condições de saúde. Já a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica desconhece o procedimento utilizado na paciente, o que não retira a possibilidade do procedimento ser realizada por outros cirurgiões. A polícia vai investigar a morte de Daniela.

Comentários

comentários