Mulher de 67 anos é a primeira vítima da dengue em 2015 na Capital

A prefeitura de Campo Grande confirmou a primeira morte por dengue no município. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), a vítima é uma idosa de 67 anos, moradora no bairro Monte Castelo. Ela morreu na segunda-feira (4) e é apurado se ela teve a forma hemorrágica da doença.

A mulher chegou a ser levada para Unidade de Saúde do bairro Coronel Antonino onde recebeu o atendimento primário e foi liberada. Pouco tempo depois ela voltou a sentir fortes dores e foi encaminhada para o Hospital Universitário, onde faleceu por volta das 18h30.

Outros casos

Outras quatro mortes causadas pela doença já foram confirmadas em Mato Grosso do Sul. O primeiro óbito do ano foi confirmado no dia 11 de fevereiro. A vítima foi uma menina de 12 anos e o caso foi registrado em Corumbá, a 415 quilômetros da capital sul-mato-grossense. A criança morreu no dia 21 de janeiro e, inicialmente, foi diagnosticada com meningite. A dengue só foi confirmada após exames.

A segunda morte foi divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) no dia 25 de fevereiro. De acordo com o órgão, uma mulher de 37 anos morreu em Paranhos. A SES disse que, no dia 3 de fevereiro, ela foi internada em um hospital da cidade com suspeita de dengue. A doença, segundo a secretaria, foi confirmada logo em seguida, em laboratório.

A terceira e a quarta mortes foram confirmadas em 24 de abril, ambas na cidade de Sonora. As vítimas são duas mulheres idosas. A primeira morte ocorreu no fim de março e a outra aconteceu em abril.

Investigação

As autoridades em saúde apuram ainda o óbito de quatro pessoas que apresentaram sintomas da doença. São dois em Três Lagoas, um em Aparecida do Taboado e um em Juti.

Números

Conforme o último boletim epidemiológico divulgado nessa quarta-feira (6), foram notificados 897 casos de dengue na última semana em Mato Grosso do Sul. Em 2015, já foram registrados 19.187 casos da doença.

Na última semana, 49 cidades estavam com alta incidência de notificações. Iguatemi tem o maior número de casos registrados, com 1.271 casos notificados e incidência de 8224,8 casos para grupo de 100 mil habitantes. Sonora tem a segunda maior incidência, com 5240,9 e 867 notificações. Já Selvíria tem o terceiro maior índice, com 5165,7 e 332 casos notificados.

Comentários

comentários