Mulher confessa que matou marido, tenente da PM no Paraná

Terra / SF

O tenente Cássio Ormond Araújo, do Batalhão de Polícia de Trânsito de Curitiba, morto pela esposa que inicialmente sustentou a versão de suicídio. Foto: Reprodução

A morte do tenente Cássio Ormond Araújo, do Batalhão de Polícia de Trânsito de Curitiba teve uma reviravolta na segunda-feira (24). O policial morreu com um tiro na cabeça na casa em que morava, na capital paranaense, no domingo (23).

Inicialmente a morte era tratada como um suicídio, mas a esposa do tenente, Francielle Caroline, 26 anos, foi presa em flagrante por homicídio após confessar o crime na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Vizinhos informaram que o casal costumava brigar e que, no fim da noite do domingo (23), ouviram um barulho de disparo de arma de fogo e encontraram o tenente morto e a esposa aos gritos.

Porém, em depoimento, a mulher negou as brigas e garantiu que os dois tinham um bom relacionamento, que já durava sete anos. Apesar disso, ela alegou que os dois tinham relacionamentos fora do casamento, com consentimento de ambas as partes.

A esposa do tenente, Francielle Caroline, 26 anos, foi presa em flagrante por homicídio após confissão do crime à Polícia Civil. Foto: Reprodução

As informações são de que a esposa teria alterado o local do crime para simular um suicídio, porém no decorrer da apuração foi possível determinar que tratava-se de um homicídio.

Ainda em depoimento, a esposa disse que manuseava a arma do marido, como era de costume, quando houve um disparo acidental. Ela afirmou que usava a arma dele em estandes de tiros e, por isso, tinha acesso à pistola.

Ainda no depoimento, Francielle informou que tentou simular um suicídio porque ninguém acreditaria na versão de tiro acidental.

Na DHPP, ao receber a notícia de que o exame de necropsia descartava um suicídio, ela desabou a chorar e confessou o crime.

Comentários