Menino de 10 anos é estuprado por outro menor e mãe relata desespero ao fazer denúncia

Michael Franco // Imagem Ilustrativa

A mãe de um menino de 10 anos procurou a redação do Página Brazil para relatar desespero em relação a demora na investigação no caso de estupro de seu filho, em um riacho próximo ao Shopping Bosques dos Ipês. De acordo com ela, o menino foi violentado sexualmente por outro menor de 14 anos. A dona de casa fez boletim de ocorrência no último dia 13 e disse que “até agora nada e o guri que fez isso tá aí”.

A reportagem entrou em contato com os delegados Dmitri Erik Palermo e Deborah Mazola, ambos da Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude (Deaij), que relataram entender o desespero da mãe, no entanto, por se tratar de um caso que envolve dois menores de idade o andamento das investigações não pode ser divulgado. Os representantes da delegacia afirmaram ainda que os trabalhos acontecem e assim que possível, o caso será solucionado.

O fato é investigado pela Deaij porque o suspeito também é menor de idade.

Denúncia

Consta no boletim de ocorrência que os garotos estavam em um riacho quando o suspeito de 14 anos anos colocou uma camisinha no pênis e ordenou que a vítima fizesse sexo oral nele. Após isso, o garoto mais velho fez sexo anal com o filho da denunciante e o ameaçou de morte caso contasse.

Boletim de ocorrência cedido pela mãe

Ao Página Brazil, a mãe relatou que ficou sabendo do caso por terceiros e pressionou o filho para que contasse a o que havia acontecido. “Eu fiquei sabendo pelos outros […] eles foram para o córrego escondido de mim, eles saíram de casa 8h e eu fui achar eles 18h40” E seguiu com o relato do filho. “mãe o guri me obrigou a ficar com ele, e falou que seu não ficasse ia me matar afogado […] ele colocou uma camisinha e mandou eu chupar e eu tive que ficar com ele”.

A mulher contou que além do suspeito e do filho, outro menino estava no riacho e confirmo a versão de que o garoto de 14 anos obrigou toda a ação. Segundo ela, os agentes do 9º Batalhão da Polícia Militar deram total apoio e auxiliaram nos procedimentos. A mãe afirmou ainda que o exame de corpo e delito apontou alterações nos órgãos do filho “a médica falou que realmente eles podem ter mexido [nele] sim”.

A dona de casa relata ainda o desespero em ver que a investigação não evolui. “Os policiais não vieram atrás de mim [..] esses guri não pode ficar assim, do mesmo jeito que fez isso com meu filho pode fazer com outras pessoas também, ou ele tem que responder ou os pais dele”. No entanto, como dito acima, a polícia trabalha no caso e só não revela as ações em decorrência da idade dos envolvidos.

A vítima

A pedido da mãe, o garoto de 10 anos conversou com a reportagem e contou que foi pescar com os outros meninos no riacho, quando o a conversa passou a ficar estranha. “Um falou para o outro ‘quer me comer?’ e aí ele falou para mim ‘dá pra mim ou eu te afogo'”.

Página Brazil preservou a identidade da mãe para também não identificar o filho e preservou a identidade do suspeito por ser menor de idade. O relato da criança foi obtido e disponibilizado pela própria mãe.

 

Comentários