MP pede que Imasul seja obrigado a limpar região do rio negrinho no Pantanal

Mais de 200 famílias que moram na região não conseguem ir à Corumbá em busca de atendimentos e serviços.

Na ação civil pública ajuizada nesta quinta-feira (17) o Ministério Público Estadual (MPE) pede à Justiça que obrigue o Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), a fazer uma limpeza na região do rio Negrinho, no Pantanal.

Vegetação impossibilita a passagem de embarcações no Rio Negrinho – Foto: Foto: Divulgação

Não é a primeira vez que o Imasul é acionado pelo MPE por conta do rio. Em março, os promotores recomendaram que o Instituto fizesse a limpeza na região. O MPE entende que é de competência do Imasul esse tipo de trabalho, mas a recomendação não foi atendida na época.

Desta vez, caso a medida não seja cumprida, o Imasul pode ser ser multado em R$ 100 mil, por dia. Além disso, há um prazo de 30 dias para que o Instituto instaure um procedimento administrativo para viabilizar manutenção de rotina.

A região do rio Negrinho tem sofrido com o bloqueio das águas por conta de plantas aquáticas. Mais de 200 famílias que moram na região não conseguem ir à Corumbá em busca de atendimentos e serviços.

Comentários