Motoristas de ônibus fazem paralisação e deixam 60 mil usuários a pé na Capital

A paralisação parcial dos motoristas do transporte coletivo de Campo Grande, no início da manhã desta terça-feira (6), deixou pelo menos 60 mil sem informações nos pontos e terminais de ônibus perdidos. Nos pontos de integração, a procura por informações era intensa e nem os funcionários do Consórcio Guaicurus sabiam o que dizer à população.

Protestos aconteceram até às 6h30 de hoje
Protestos aconteceram até às 6h30 de hoje

Mais de 200 ônibus de diversas linhas não saíram das garagens, sendo em sua maioria coletivos que fazem a ligação entre terminais de transbordo e os bairros. A decisão pela paralisação teria sido comunicada à direção do Consócio Guaicurus na noite de ontem e de acordo com o presidente do Consócio , o empresário João Rezende espera dar início as negociações durante o dia de hoje.

De acordo com o diretor financeiro do STTUC (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Coletivo Urbano de Campo Grande), Willian Alves da Silva, a paralisação deixou aproximadamente 400 veículos das empresas Viação Cidade Morena e Jaguar fora das ruas, por aproximadamente 2h00 [entre 4h30 e 6h30]. As empresas Viação São Francisco e Jaguar não aderiram ao movimento.

Para o dia de ontem estava previsto entrar em vigor um reajuste das tarifas do transporte coletivo que passariam de R$ 3,25 para R$ 3,53 mas que acabou sendo barrado pelo Tribunal de Contas que pretende analisar a planilha da prefeitura.

Comentários