Motoristas de aplicativos prometem greve nesta quarta-feira

Associações pediram que condutores desliguem a plataforma por 24 horas a partir da meia-noite; eles reivindicam melhores condições de trabalho

Motoristas de aplicativos prometem fazer uma paralisação nesta quarta-feira, 8, em várias cidades do Brasil, entre elas Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio. Eles aderiram a um protesto internacional de condutores que pedem melhores condições de trabalho. A greve está prevista para começar à zero hora desta quarta e terminar às 23h59.

Nesta sexta-feira, 10, a Uber faz sua oferta pública inicial (IPO) na bolsa de Nova York – e a abertura de capital do aplicativo tem motivado mais queixas entre os trabalhadores. A expectativa é de que as ações sejam avaliadas entre US$ 44 e US$ 50, levando o valor da empresa para próximo de US$ 90 bilhões.

“A Uber cresceu, se tornou uma empresa bilionária, está entrando na Bolsa, mas o motorista, que é a máquina que move esse sistema, está esquecido”, diz Eduardo Lima, presidente da Associação de Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp).

Você será afetado?

Não está claro o potencial do ato, mas é possível, por exemplo, que tarifas fiquem mais caras ao longo desta quarta (8) em todos os aplicativos – o protesto contra a Uber será ampliado também a outros apps como 99, Cabify e afins. Os próprios organizadores, contudo, sabem que nem todos os condutores vão aderir.

A intenção das organizações é, após a paralisação desta quarta (8), fazer um balanço mundial dos atos para depois tomar outras atitudes.

Comentários