Motoristas da Uber no Brasil aderem à greve mundial e vão parar por 24h

Portal UOL/JP

Protesto mundial pede que motoristas desliguem o app da Uber por 24h (Foto: Divulgação)

Motoristas da Uber no Brasil decidiram aderir ao movimento internacional de protesto contra a empresa em razão da abertura de capital do aplicativo na Bolsa de Valores, que deverá ocorrer nesta sexta (10). Por aqui, associações e condutores sugerem que todos desliguem o aplicativo a partir da 00h desta noite até as 23h59 desta quarta (8).

A adesão à greve parte tanto de motoristas independentes quanto de associações estaduais. A comunicação entre os condutores se dá por grupos de WhatsApp e Telegram, além de páginas do Facebook.

Os motoristas não conseguem estimar o potencial do ato, já que há apenas uma “sugestão” para que todos os condutores incomodados com práticas da empresa desliguem o app.

“A paralisação é por causa do IPO da Uber. É uma forma de retaliação. A Uber só está crescendo em valor. Quem é que produziu isso? Foi o motorista, que não é reconhecido. Não tem aumento há anos e os combustíveis estão aumentando duas vezes por semana”, afirmou ao UOL Tecnologia Eduardo Lima, presidente da Amasp (Associação dos Motoristas de Aplicativo de São Paulo).

Por trás do ato mundial, que começou com um movimento norte-americano, está a tentativa de motoristas terem aumento no valor recebido. A sugestão é que haja um reajuste na tarifa básica cobrada do passageiro, além de aumento no valor por quilômetro rodado.

Você será afetado?

Não está claro o potencial do ato, mas é possível, por exemplo, que tarifas fiquem mais caras ao longo desta quarta (8) em todos os aplicativos – o protesto contra a Uber será ampliado também a outros apps como 99, Cabify e afins. Os próprios organizadores, contudo, sabem que nem todos os condutores vão aderir.

A intenção das organizações é, após a paralisação desta quarta (8), fazer um balanço mundial dos atos para depois tomar outras atitudes.

Comentários