Motorista que matou jovem atropelado paga R$ 28 mil e sai da cadeia

Da Redação/JN

Em audiência de custódia na manhã desta sexta-feira (27), no Fórum de Campo Grande, a juíza Joseliza Alessandra Vanzela Turine fixou em 30 salários mínimos, o equivalente a R$ 28.620, a fiança para que Alderson Fante da Silva, 33 anos, condutor do veículo que matou atropelado Moisés Luis da Silva Oliveira, 22 anos, na faixa de pedestres, na madrugada de quinta-feira (26), responda o processo em liberdade.

O caso já foi analisado pelas autoridades policiais e a Justiça com base na nova legislação do Código Brasileiro de Trânsito (CTV), que aumentou as punições e diminuiu as brechas para motoristas embriagados ou que tenham utilizado entorpecentes e que causem acidentes de trânsito com vítimas.

O acidente ocorreu na avenida Ceará, na madrugada de quinta-feira. O jovem tinha acabado de sair do trabalho e seguia para uma conveniência com amigos quando foi atingido pelo carro. Ele estava na faixa de pedestre, quase chegando na calçada e foi lançado a 55 metros. O motorista do veículo, de 33 anos, fugiu do local e foi preso em casa, no bairro Carandá Bosque.

Vítima foi lançada a 55 metros de distância do ponto de colisão, segundo a Polícia (Foto: José Aparecido/ TV Morena)

Segundo a juíza o valor correspondente ao que custa o veículo do motorista. Na decisão, a magistrada considerou que Alderson não tem antecedentes criminais, tem endereço e emprego fixos.

O rapaz terá de comparecer mensalmente ao Fórum e também toda vez que for intimado, além de não poder se ausentar da cidade sem permissão.

O funcionário público esperou o pagamento da fiança em uma cela do Fórum e foi liberado por volta das 12h.

Conforme o delegado de Polícia Civil Enilton Zalla, imagens de câmeras de segurança da conveniência para onde a vítima seguia mostram dois rapazes atravessando na faixa e, em seguida, o carro em alta velocidade atingindo um deles. “Uma consegue sair e a outra é atingida”, diz.

O delegado afirma ainda que “as imagens são fortes” e “demonstram que o veículo estava em alta velocidade mesmo. Não há dúvidas quanto a isso”. Ele fugiu e o para-choque com a placa permaneceu na avenida, o que ajudou os investigadores a encontrarem o suspeito.

Comentários