Motorista de Uber repassa áudio otimista por recuperação, mas podendo ficar paraplégico

Lúcio Borges

O motorista de Uber, Nelson Miyashiro Tobaru, 38 anos, atingido no tiroteio ocorrido na tarde desta quinta-feira (27), no Jardim Carioca, repassa áudio em rede social, otimista por sua recuperação, mesmo ante que pode ficar com sequelas, em paralisação de membros, devido ao local que foi atingido, como o Página Brazil noticiou na manhã de hoje. O rapaz, que também é Profissional da Educação Física, até este momento, está em quadro de paraplegia, pois foi ferido por três tiros: bochecha, ombro e outro na costa, próximo a espinha dorsal, que quebrou a vértebra, com a bala atravessando a coluna.

Tobaru, veja abaixo, que estava em lugar/hora errada em ‘acerto de contas’ de foras da Lei, foi atingido em fuzilamento/morte dos dois passageiros, Maickon Alves Marques, 22 anos, e Reynan Felipe Alves de Oliveira, 20, que ele pegou em serviço pelo aplicativo. Ele já estava e atendeu chamado no residencial Nelson Trad, que fica naquele bairro da região Oeste de Campo Grande, próximo/após o Aeroporto da Capital.

“Galera estou numa situação delicada, mas tamo firme, acredito que vou sair. Sei que estão orando e torcendo por mim. Foi delicado, em região que paralisou, mas médico deu esperança”, diz pedaço do áudio de Tobaru, onde ainda ele agradece a todos amigos e desejos lhe enviados.

Tobaru, deu entrada no fim da tarde de ontem, na área vermelha da Santa Casa, com um tiro na boca e outro na coluna torácica, onde já se via que estaria ‘provável paraplégico”, apesar de estar consciente, orientado. Mas, como apontavam integrantes da equipe do hospital, ‘Ele infelizmente, quebrou a vértebra, com a bala atravessando a coluna”.

Hoje, pela manhã, como noticiamos, de acordo com a assessoria da Santa Casa, o motorista saiu da área vermelha e estava na enfermaria, consciente e segue em tratamento conservado e ainda não se sabia se ele precisará passar por cirurgia. “Não tem cirurgia por enquanto, mas o quadro é de paraplegia, infelizmente”.

Lugar ou hora errada em ‘acerto de contas’ de foras da Lei

O rapaz que também é professor de Educação Física é conhecido como “Shinho” e estava fazendo corridas por meio do aplicativo para complementar a renda família. O motorista de Uber atendeu um chamado dos dois passageiros, identificado como Maickon Alves Marques, de 22 anos, e Reynan Felipe Alves de Oliveira, 20, que acabaram sendo assassinados, no Jardim Carioca, onde ele havia acabado de deixar uma outra cliente, no mesmo local do então residencial.

Ao iniciar a corrida, o motorista percebeu que estava sendo fechado por uma motocicleta e uma caminhonete, tentou acelerar, mas os bandidos começaram a disparar. Ele foi atingido, provavelmente para para o carro, pelo motoqueiro, que o acertou com arma de calibre 22′.

Já os passageiros, Maickon e Reynan, que foram apontados como “foras da lei”, foram atingidos com fuzil, em crime descrito como acerto de contas. A ação já pode ser caracterizada assim, devido ao grande número de tiros e os baleados dentro do veículo, que foram mortos, após serem perseguido e parados na Rua Zacarias Mourão, no Jardim Carioca.

Segundo consta, o acerto de contas, é por outro crime, que a dupla teria cometido ou participado a poucos dias, no outro lado da cidade, na região do Jardim Itamaracá, saída para São Paulo, região sul de Campo Grande.

Comentários

comentários