Morto em confronto com a PM cometeu primeiro crime aos 13 e latrocínio aos 15 anos

Morto em troca de tiros com policiais militares, Gabriel Carlos Albuquerque Santana, de 20 anos, começou cedo no mundo do crime e possuía uma extensa ficha criminal. Aos 13 anos, Gabriel “estreou” nas delegacias quando foi pego com uma arma, já aos 15 anos, cometeu um dos crimes mais graves: matou um comerciante de 63 anos durante um assalto, no bairro Cidade Morena.

Arma usada por Gabriel para atirar contra policiais  (Foto: Divulgação/PM)
Arma usada por Gabriel para atirar contra policiais
(Foto: Divulgação/PM)

Um dos últimos crimes do jovem foi cometido na semana passada, quando ele e outros comparsas invadiram uma casa no bairro Recanto dos Rouxinóis e assaltaram uma família. Gabriel foi o responsável por apontar a arma na cabeça de uma criança. No dia, o grupo levou R$ 50 mil da família.

De acordo com a Polícia Militar, o jovem possuía 26 passagens na polícia como autor e outras como vítima e testemunha.

Depois de um dos crimes mais graves, a morte do comerciante em um latrocínio, Gabriel foi apreendido, mas acabou sendo solto em setembro de 2013, ano em que completou 18 anos.

O CASO

De acordo com o registro da ocorrência, por volta das 19 horas de ontem, equipes da Polícia Militar faziam rondas pela região da Vila Nova Capital. Ao perceber a viatura da polícia, Gabriel sacou e fez três disparos contra os militares que revidaram. Gabriel foi atingido por dois disparos. Socorrido até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Universitário, Gabriel não resistiu aos ferimentos e morreu.

Comentários

comentários