Mortes por H1N1 estacionam em MS, mas notificações aumentam

Mato Grosso do Sul não registrou mortes em decorrência da Gripe H1N1 na semana em que se passou. Os óbitos no Estado continuam em 85, recorde desde que o subtipo da doença começou a ser monitorado no Brasil. Já a quantidade de notificações e confirmações aumentaram no mesmo período.

Vacina continua sendo a melhor forma de prevenção da doença
Vacina continua sendo a melhor forma de prevenção da doença

Conforme boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta quarta-feira (27), são 1.480 casos suspeitos da gripe e do total, 431 atestaram positivo para o H1N1.

Na semana passada, de acordo com o mesmo boletim, eram 1.442 suspeitas para 400 confirmações.

AS MORTES

Os óbitos por H1N1 ocorreram em sua maior parte nos municípios de Campo Grande e Naviraí, com 24 e sete casos confirmados, respectivamente em 2016.

Dourados, Jardim, Maracaju e Ponta Porã registraram quatro, já Bataguassu, Caarapó, Ivinhema e Três Lagoas somam três.

Com duas mortes registradas estão Antônio João, Aquidauana, Corumbá, Laguna Carapã, Sidrolândia e Rio Brilhante, enquanto Terenos, São Gabriel do Oeste, Santa Rita do Pardo, Rio Verde, Ribas do Rio Pardo, Nova Andradina, Ladário, Juti, Glória de Dourados, Douradina, Coxim, Costa Rica, Amambai e Água Clara têm um cada.

Além do H1N1, a Secretaria registrou outras três mortes por Infuenza B em Campo Grande, Corumbá e Jardim e um ainda não subtipado, que também ocorreu na Capital.

Comentários

comentários