Morre cadelinha Vitória Guerreira que comoveu mais de 50 mil internautas

Morreu na madrugada de hoje(11), depois de 13 dias em tratamento, a cadelinha Vitória Guerreira Ela tinha aproximadamente três meses de idade quando foi encontrada com ferimentos graves na tarde do dia 30 de maio, depois de ser atropelada. Ela não resistiu ao ferimento que se estendia por mais 40% do corpo e morreu por desidratação.

Foto Reprodução Facebook
Foto Reprodução Facebook

Nos últimos dias, a cadelinha teve piora no estado clínico. A lesão de Vitória estava bastante grave, uma área muito grande ficou prejudicada e a cadelinha perdia líquido e sangue a todo momento.

Vitória estava sedada e recebia alimentação na veia, além de remédios para evitar infecção e aliviar a dor.

A protetora que resgatou a vira-lata, Simona Zaim, em postagem em rede social.disse que de tudo foi feito pela filhote. “Nossa Vitoria virou uma estrelinha! Va em paz Guerreira, fizemos de tudo, nos desculpe.. .Vá descansar em lugar onde nao há mais sofrimento!!!”.

O caso de Vitória Guerreira, causou grande repercussão nas redes sociais, que internautas criaram um abaixo-assinado online para pedir a punição dos agressores. No texto, o autor do manifesto pede “ajuda para não deixarmos essa maldade sem punição.” O manifesto já conta com mais de 50 mil apoiadores. Para assinar, basta o interessado acessar a página referente ao abaixo-assinado e responder algumas perguntas com dados pessoais.

INVESTIGAÇÃO

A versão apresentada pela dona da cadela à polícia foi de que a vira-lata foi atropelada. Todavia, outras declarações prestadas por ela divergem com as informações apuradas por investigadores.

De acordo com a mulher, depois do acidente, ela levou a cachorrinha até uma clínica veterinária, porém, o tratamento do animal teria sido orçado em R$ 1 mil. Ela disse ainda que, sem dinheiro e desesperada, abandonou o animal em um terreno baldio.

“Com essa versão já ficou constatado o crime de maus-tratos”, garantiu, no início do mês, o delegado Wilton Vilas Boas, da Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista (Decat)

Ainda de acordo com a autoridade policial, algumas informações declaradas pela empregada doméstica não coincidem com o que está sendo apurado durante a investigação da Decat.

Na delegacia, a mulher disse que não conhecia os quatro adolescentes acusados de torturar a cachorrinha Vitória e assumiu ser a única responsável pelos maus-tratos do animal. Todavia, a polícia tem a informação de que ela conhece os menores.

Comentários

comentários