Morre alemão ferido em explosão de apartamento no Rio

O alemão Markus Müller, 51, morreu na madrugada desta quinta-feira (28) após ficar quase dez dias internado. Ele teve 50% do corpo queimado depois de uma explosão no apartamento onde morava, em São Conrado, na zona sul do Rio, no dia 18 de maio.

Edifício Canoas, de 19 andares, em São Conrado, na zona sul do Rio, onde ocorreu uma explosão há dez dias, no apartamento do empresário alemão Markus Muller, no décimo andar. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)
Edifício Canoas, de 19 andares, em São Conrado, na zona sul do Rio, onde ocorreu uma explosão há dez dias, no apartamento do empresário alemão Markus Muller, no décimo andar. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

Segundo a GloboNews, ele estava internado em estado grave no Hospital Pedro 2º, em Santa Cruz, na zona oeste do Rio. Além das queimaduras, o alemão tinha cortes nos braços, peito tórax e nádegas. Ele estava internado no Centro de Tratamento de Queimados do hospital. Outras três pessoas ficaram feridas, mas receberam alta no mesmo dia.

A explosão foi causada pela má instalação da tubulação de gás com o fogão, segundo conclusão preliminar da perícia criminal. A peça que deveria vedar o gás usado no fogão não foi rosqueada com a pressão adequada, o que provocou o vazamento.

“A conclusão da perícia é de que o ocorrido foi um acidente. Foram constatados também azulejos sobre azulejos; essas reformas atuais acarretam isso, pois aumentam a profundidade da peça que recebe a recepção e impedem a fixação total do rabicho, que é a peça”, disse o diretor do Instituto de Criminalística Carlos Éboli, Sérgio William.

Também foi constatado que não há indício da presença de nenhuma outra pessoa no apartamento em que ocorreu o acidente. A polícia chegou a considerar a possibilidade do alemão ter sido vítima de uma tentativa de assalto por conta de alguns ferimentos encontrados em seu corpo.

A estrutura do prédio não foi comprometida, mas os apartamentos, áreas comuns e rede de serviços terão de passar por reparos. Além do apartamento do alemão, outros oito apartamentos ficaram completamente destruídos. O prédio tem 19 andares e 72 apartamentos.

AGÊNCIA BRASIL

Comentários

comentários