Moradores fecham rua e queimam pneus em protesto pela morte de jovem

Os vizinhos da jovem Juliana da Silva Fernandes, de 25 anos, que morreu na Santa Casa de Campo Grande, na sexta-feira (22), depois de ser esfaqueada fizeram um protesto na noite deste domingo (24) em uma das principais vias do bairro Aero Rancho.

Jovem foi mora na última sexta-feira em seu barraco (Foto: TV Morena)
Jovem foi mora na última sexta-feira em seu barraco (Foto: TV Morena)

Grupo queimou madeiras e pneus e muitos participantes pintaram o rosto em forma de protesto. Segundo a polícia, o principal suspeito do crime é o ex-marido da vítima e pai dos três filhos dela que viram a mãe ensanguentada. O caso foi registrado como feminicídio.

O protesto durou aproximadamente uma hora e terminou logo depois da chegada da Polícia Militar, Bombeiros e Guarda Municipal. Os moradores reclamam da falta segurança na favela Cidade dos Anjos.

Depois de esfaquear, o suspeito fugiu, os filhos acordaram e viram a mãe ensanguentada. Ela foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a Santa Casa e morreu à noite. Ela foi ferida por três golpes: no braço, no abdômen e no tórax.

De acordo com Ana Paula da Silva Fernandes, a irmã estava separada do suspeito há oito meses, morava com ela há dois e a pouco tempo trabalha no setor de limpeza de um hipermercado. (Com G1)

Comentários

comentários