Ministro vem a MS em agosto para anunciar investimentos em habitação

Da Redação/JN

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, confirmou nesta quarta-feira (5.7) que estará em Campo Grande no próximo dia 4 de agosto para assinar convênios para a retomada do projeto de construção de casas populares no Estado. São mil unidades para atender, nesta primeira etapa, famílias de baixa renda da Capital. O anúncio foi feito durante reunião do ministro com o governador Reinaldo Azambuja e o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, em Brasília.

Mato Grosso do Sul deve ganhar incremento de mais 5 mil moradias para atender os 79 municípios do estado. O governador Reinaldo Azambuja conseguiu, nesta quarta-feira, colocar MS como prioridade nos projetos habitacionais do Ministério das Cidades

No encontro de hoje, o ministro também anunciou a retomada da construção de casas dos programas habitacionais em Mato Grosso do Sul, que vai começar por Campo Grande e se estender para os demais municípios do Estado, reivindicação do governador Reinaldo Azambuja no encontro com o ministro no mês passado. O compromisso da União com o Governo do Estado prevê a construção de mais 4 mil casas para atender os outros 78 municípios do Estado.

“A Capital parou nos últimos 5 anos, ficou sem nenhum projeto habitacional. Agora, o Ministério das Cidades, dentro de vários programas existentes, vai privilegiar Campo Grande na seleção”, afirmou Reinaldo Azambuja.

Já o prefeito de Campo grande enfatizou a importância dessa união de esforços. “Nós (governador e prefeito) estamos unidos em favor do Estado e da Capital, estamos assistindo com muita preocupação focos de invasão na cidade. Isso ocorre porque as administrações anteriores de Campo Grande não ofereceram nenhum tipo de habitação nos últimos 5 anos. O governador, ao saber de nossa proposta de solucionar o problema habitacional, imediatamente nos trouxe a Brasília, abriu as portas do Ministério das Cidades”, afirmou.

Parcerias

Reinaldo Azambuja e Marcos Trad enfatizaram as parcerias que estão firmando para viabilizar melhores condições de vida ao campo-grandense, sendo que para o prefeito, estas conquistas são resultados de “pessoas responsáveis, maduras, equilibradas que buscam o melhor para a cidade e para o Estado”.

O governador também citou a parceria para as obras de reurbanização do cruzamento da Via Parque com a Avenida Mato Grosso, que vai reordenar o tráfego de veículos. “Pretendemos expandir para outras vias. Isso mostra afinidade entre Governo do Estado e prefeitura”, afirmou ele, acrescentando que além da Capital, o Governo vai intensificar ações nos outros municípios. “O Estado está presente nos 79 municípios, todos estão tendo ou terão investimentos em infraestrutura”, reafirmou o governador.

Obras de infraestrutura

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, assegurou no encontro que vai retomar as obras paradas em Campo Grande. Para tanto, deve começar a liberar R$ 400 milhões para obras de macrodrenagem e asfaltamento. O ministro enfatizou que a pasta vai definir as questões técnicas para viabilizar os projetos, ente eles a conclusão das obras do Córrego Bálsamo, que já está com 62% da segunda etapa concluídos. O pacote de R$ 71,4 milhões contempla a retomada das obras do Parque Linear Bálsamo (R$ 26,4 milhões), início da primeira etapa do projeto de drenagem e controle de enchentes do Rio Anhanduí (R$ 47 milhões), entre as ruas Santa Adélia e Aquário, e que está em processo de licitação, e R$ 58 milhões para o inicio das obras do corredor de ônibus da região Norte da Capital. O novo corredor possibilitará recapeamento das ruas Bahia, Coronel Antonino, Cônsul Assaf Trad, Alegrete e 25 de Dezembro. “Hoje, o ministro acionou a Caixa (Econômica Federal) que vai encaminhar as pendências para o Ministério e desta forma agilizar a retomada das obras”, enfatizou Azambuja.

Comentários