Ministro da Defesa, Aldo Rebelo deve visitar Dourados na próxima sexta

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, irá a Dourados na próxima sexta-feira (13) para conhecer o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras), estratégia do Exercito Brasileiro. No primeiro discurso como ministro, cargo que assumiu em 8 de outubro deste ano, Rebelo prometeu apoiar “cada uma das agendas estratégicas das Forças” chegando a citar nominalmente os projetos como o Prosub (Programa de Desenvolvimento de Submarinos), da Marinha, o Sisfron, do Exército e o FX-2 para aquisição dos caças Gripen da Aeronáutica, ressaltando a importância deles para o fortalecimento da soberania brasileira.

Ministro Aldo Rebelo (Foto: Divulgação )
Ministro Aldo Rebelo (Foto: Divulgação )

“Desejo assumir, também, alguns compromissos, como a valorização institucional da agenda da Defesa, no sentido de buscar, na sua dimensão civil e militar, a legitimação e a legitimidade junto ao Poder Executivo, Legislativo e à sociedade”, disse.

O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), que naquele ato estava como presidente em exercício, já visitou Dourados no dia 9 de julho deste ano para conhecer o projeto sendo recepcionado pelo General de Brigada Rui Yutaka Matsuda, comanda da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada.

Após assistir apresentação sobre o sistema o presidente em exercício se referiu o projeto como extraordinário. “O sistema é uma coisa extraordinária. Acho que a tecnologia aqui implantada está sendo usada para cada vez mais aumentar a segurança nas fronteiras. Recentemente várias operações foram realizadas, mas operações episódicas, como Ágata e Sentinela. Agora ela é permanente, preserva a soberania nacional e combate a criminalidade”, comentou o vice.

É de Temer, inclusive, a coordenação do PEF (Plano Estratégico de Fronteiras), criado em junho de 2011, quando o Governo Federal passou a integrar as ações dos diversos ministérios e os poderes públicos locais nas áreas de fronteira.

Sistema 

O Sisfron foi inaugurado no primeiro módulo em novembro de 2014, em Dourados, como piloto do projeto que visa monitorar toda a área de fronteira terrestre do país, em um investimento total previsto de R$ 12 bilhões, em várias etapas de implantação.

No Mato Grosso do Sul, os recursos investidos foram de aproximadamente R$ 900 milhões, implantando o sistema ao longo dos 600 quilômetros de fronteira do Estado.

O centro do sistema, uma central de comando e controle instalada na sede da Brigada Guaicurus, monitora todas as ações ou operações desenvolvidas pelos militares na faixa de fronteira e gerencia possíveis ordens do comando para deslocamento de tropas, entre outras atividades de segurança.

Dezenas de viaturas militares blindadas ou não estão equipados com modernos meios de comunicação de voz e vídeo conectados a um moderno centro de controle, com acesso a computadores que estão conectados não apenas à sala de monitoramento dentro da Brigada, como também a satélites que detalham posicionamento e produzem imagens mais amplas.

Os militares que trabalharão em ‘terra’, assim como aqueles que estarão em helicópteros, possuem equipamentos de câmera de última tecnologia e registram toda a ação. Esses dados são transmitidos ‘ao vivo’ para as centrais de monitoramento e comando que armazenam os dados para definir estratégias futuras ou para definir movimentações imediatas durante as operações, como perseguição a criminosos, por exemplo. São utilizados ainda radares e sensores que identificam movimentações suspeitas e também aeronaves não tripuladas.

 

Comentários

comentários