Ministra nega pedido e mantém Giroto, esposa e empresário presos

Presos na 2ª fase da Operação Lama Asfáltica, a Fazendas de Lama, Edson Giroto, sua esposa Rachel Rosa de Jesus Portela Giroto e seu cunhado, Flávio Henrique Garcia Scrocchio, perderam mais um pedido judicial de liberdade.

Foto montagem
Foto montagem

O STJ (Supremo Tribunal de Justiça), sob a relatoria de Maria Thereza de Assis Moura, da 6ª Turma, negou liminarmente o pedido de habeas corpus impetrado pelo advogado José Valeriano Fontoura.

O objetivo era reverter decisão do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região), do relator Paulo Fontes. Os três estão presos desde 10 de maio, juntamente com João Amorim, Ana Paula Amorim Dolzan, Wilson Roberto Mariano de Oliveira, Mariane Mariano de Oliveira e Elza Cristina Araújo dos Santos.

Com publicação prevista para amanhã (10), Valeriano Fontoura ainda não havia sido comunicado da decisão. Em maio, a juíza da 3ª Vara Federal de Campo Grande, Monique Marchioli Leite, determinou o desmembramento individual do processo relacionado à Operação.

“Considerando o número de investigados, dentre os quais há presos, outros em regime domiciliar e soltos, e a complexidade da operação, revela-se conveniente para as investigações e, posteriormente, à instrução probatória de eventual ação penal, o desmembramento do inquérito, com fulcro no artigo 80 do Código de Processo Penal, de forma individualizada para cada investigado”, cita.

Comentários

comentários