Miglioli deixará secretaria para ser candidato ao Senado pelo PSDB

Lúcio Borges

O PSDB na pratica ainda não oficializou, até porque ainda tem tempo em data final para até registrar candidaturas as eleições de outubro de 2018. Mas, além da reeleição do atual governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, que já foi declarada pelo partido, após aceitação do mesmo, que é a maior liderança dos tucanos no Estados, foi anunciado hoje (3) no fim da manhã, o candidato a uma das vagas no Senado Federal. Azambuja que já articulava, deu aval final e anunciou nesta terça-feira, que o engenheiro Marcelo Miglioli, o seu secretário de Infraestrutura, será o indicado para disputar uma, das duas vagas ao senador, pelo PSDB.

O governador até anunciou convicto, que Miglioli deixará o cargo nesta sexta-feira (6), para  em data final de desincompatibilização de cargos púbicos, para ser pré-candidato do PSDB ao Senado. “Sexta-feira ele -Miglioli- se licencia para almejar algum cargo na eleição. A vaga está no nosso partido, o qual ainda vai apontar, ratificar para onde será melhor a sua missão. Vai ser importante para nosso projeto político”, falou o chefe do Executivo estadual, nesta manhã durante então ato politico-partidário de filiação do deputado estadual Paulo Corrêa, que deixa o PR para ingressar no PSDB.

Azambuja, apesar de toda articulação e já anúncios, não falou em “senador”, mas o próprio Miglioli, até confirmou que sairá para disputar o cargo majoritário ao Legislativo. A outra vaga deve ser cedida para legendas que o PSDB coligará. “Me sinto preparado para deixar o governo, porque já deixei bem organizada a secretaria. As instituições dentro estão organizadas e com projeto em andamento. Entendo que minha saída não trará prejuízos à pasta. E saio com a missão de ajudar na chapa majoritária para o partido reeleger nosso governador e ter uma bancada legislativa em Brasília”, mencionou o postulante a Senador.

O então secretário teria até o sábado, dia 7 de abril, que é o último dia para quem ocupa cargo público e quer disputar a eleição deixar o Poder Público, de acordo com a legislação eleitoral. Mas, como sexta-feira é o último dia útil, já será exonerado no fim do expediente da data.

Consenso entre outros nomes ?

O ainda secretário já havia postulado interesse em entrar para disputa, na vaga de Senador. Mas, apontava que sua pré-candidatura dependia da vontade e consenso do PSDB. Ele então pleiteava uma das vagas ao Senado, com o secretário de Governo, Eduardo Riedel.

Contudo, ao mesmo tempo hoje, que se anunciou sua saída do governo, se procurou também ‘anunciar’ durante a agenda, que a direção governamental e partidária, confirmava que Riedel, permanecerá no quadro de secretários.

Reinaldo não disse ainda quem vai substituir o atual titular da Infraestrutura, nem comentou detalhes sobre a definição por Marcelo Miglioli.

Comentários

comentários