México abre investigação sobre pagamento de propinas pela Odebrecht no país

O México abriu investigação para apurar quais funcionários públicos do país receberam suborno do grupo Odebrecht.

“Com base em relatos publicados pela imprensa de que as empresas Odebrecht e Braskem teriam pago subornos a funcionários públicos em países de três continentes, incluindo o México, o Ministério da Função Pública, por meio de sua de Unidade de Responsabilidades, e em coordenação com a Pemex (Petróleos Mexicanos), começou a recolher todas as informações disponíveis, a fim de trabalhar em conjunto no esclarecimento destas questões”, afirma o comunicado do governo mexicano publicado na noite de quinta-feira (22).

No mesmo dia, o UOL revelou que a Odebrecht pagou propinas a agentes públicos do Peru e do México no mesmo período em que venceu licitações para a construção de gasodutos nos dois países no valor de US$ 6 bilhões –R$ 19,8 bilhões no câmbio atual.

As informações sobre o pagamento de propinas constam no documento “Informação Odebrecht”, divulgado pelo DOJ (Departamento de Justiça) dos Estados Unidos, que assinou acordo de leniência no valor de R$ 6,9 bilhões com o grupo baiano.

O DOJ afirma que o grupo Odebrecht pagou US$ 599 milhões em propinas para servidores públicos e políticos brasileiros (ou R$ 1,9 bilhão ao câmbio atual) e mais US$ 439 milhões (R$ 1,4 bilhão) em outros 11 países.

Comentários