Mesmo sem concurso, irmã de Marquinhos se aposenta com R$ 13,6 mil na Assembleia

A família Trad se vê envolta em mais uma situação delicada. Nesta semana veio à tona a notícia de que o candidato a prefeito de Campo Grande, deputado estadual Marquinhos Trad (PSD), seria um “fantasma” na Assembleia Legislativa, por ter sido nomeado em 1986 no gabinete do seu pai, o então deputado estadual Nelson Trad, e ter continuado a receber salários do legislativo, mesmo ocupando outros cargos ao longo deste quase 30 anos, com direito de até se aposentar, mesmo sem ter feito concurso público. Agora tem outra bomba para desarmar.

Fatima Trad sendo homenageada na Câmara pela então vereadora Grazielei Machado, hoje deputada estadual
Fatima Trad sendo homenageada na Câmara pela então vereadora Grazielei Machado, hoje deputada estadual

Hoje a notícia é de que sua irmã, Fátima Trad Martins, também foi nomeada pelo pai e sem concurso na Assembleia, ainda antes, em 1983. Ela se aposentou em 2015, com 53 anos, com ganhos de R$ 13,6 mil.

Em março de 1983, Fátima Trad foi nomeada como secretária da liderança. Passando pelos cargos de técnico parlamentar e assistente jurídico. Ficou lotada nos gabinetes do deputado Armando Amache em 1993 e do deputado Waldir Neves, em 1995,passando para o deputado Londres Machado, já em 2007.

Fátima também e tornou funcionária efetiva da Assembleia Legislativa sem passar por concurso público. Ela se aposentou em 2015, através do Plano de Aposentadoria Incentivada, recebendo os proventos integrais de R$ 13,6 mil.

O seu marido e ex-secretário de Saúde durante a gestão de seu irmão Nelson Trad, Leandro Mazina está nomeado em cargo em comissão como médico na Assembleia Legislativa.

O genro de Marquinhos Trad, Murilo Barbosa Alves Vieira, está nomeado no gabinete do filho de Fátima Trad, vereador Otávio Trad (PTB), em cargo de comissão.

Comentários

comentários