Mesmo aposentado, Ceni estipula mais 30 dias para se livrar de lesão

Aposentado do futebol profissional, o ex-goleiro Rogério Ceni terá de encarar mais um mês de fisioterapia para se livrar por completo da lesão que antecipou em alguns jogos o fim de sua carreira. O ídolo se contundiu no dia 28 de outubro, quando sofreu uma ruptura no ligamento tíbio-fibular do pé direito numa derrota por 3 a 1 para o Santos, na Vila Belmiro. Ele não conseguiu se recuperar a tempo de reforçar o São Paulo na reta final da temporada e só pôde se despedir dos gramados no jogo festivo organizado pelo clube na última sexta-feira.

Rogério Ceni participou lesionado do jogo festivo que marcou sua despedida do futebol (Foto: Gazeta Esportiva)
Rogério Ceni participou lesionado do jogo festivo que marcou sua despedida do futebol (Foto: Gazeta Esportiva)

Como já não tem contrato com o Tricolor, Ceni só irá ao CCT da Barra Funda nos próximos dois dias para finalizar o tratamento da lesão. As últimas sessões de fisioterapia e a etapa de fortalecimento muscular serão feitas em academias particulares e na sua própria residência. “Eu vou tratar hoje e amanhã. Tenho que deixar os caras do CT descansarem também. Nem tenho mais contrato e fico enchendo o saco deles lá”, disse o ex-goleiro, entre risos, no lançamento de uma linha de bustos e chaveiros comemorativos à sua aposentadoria.

“Já conheço bastante do que preciso fazer. O fortalecimento eu posso fazer em academias. Para a parte de choque e de gelo já tenho a aparelhagem que adquiri ao longo dos anos. E também conto com o acompanhamento dos fisioterapeutas. Qualquer dúvida é só ligar para eles. Eu me aposento precisando de uma bota de esparadrapos para jogar, mas em 30 dias essa lesão já deve estar totalmente curada”, acrescentou o ex-jogador.

Os primeiros dias de Ceni como jogador aposentado foram movimentados. Além da despedida de sexta-feira, ele participou de partidas com torcedores no estádio do Morumbi, no sábado e domingo, e compareceu ao lançamento dos objetos personalizados nesta segunda. Também está prevista para terça uma tarde de autógrafos do livro de fotos que homenageia o término de sua carreira. Para o ídolo, os encargos são uma forma de aproximá-lo do torcedor.

“Foram dias bem puxados fisicamente. Estava cansado do jogo de sexta e vinha de um longo período inativo. Estava treinando muito pouco e ontem no Morumbi o pessoal quase me matou de tanto correr atrás. Foi um evento muito bacana, muito legal. São todos compromissos pré-agendados há um ou dois meses. Fico feliz que tenham dado tantos resultados e que coisas bacanas estejam acontecendo. É uma forma de ficar na memória das pessoas”, afirmou Ceni, antes de prometer a si mesmo que encontrará tempo para descansar. “Daqui uns dias eu paro de vez”, divertiu-se

GAZETA ESPORTIVA

 

Comentários

comentários